Total E&P Angola doa dois sistemas de electrificação solar

  • Painel solar (Foto ilustração)
Luanda – Dois sistemas de electrificação solar rural foram doados esta semana à Associação Mulemba, em Luanda, e à Diocese do Luena (Moxico), para atender as necessidades energéticas de escolas e habitações destas instituições, numa acção da petrolífera Total E&P Angola.

O primeiro sistema solar, composto por um contentor com 96 módulos de painéis fotovoltaicos e com uma capacidade de 36 kilowatts (kW) de potência, foi instalado no distrito urbano de Viana (Luanda), para fornecer energia a uma escola com 30 salas de aula, habitações do corpo directivo e de professores, assim como ao centro de acolhimento “Vivência Feliz”. 

Já no Moxico, foi instalado um contentor com 192 módulos de painéis solares com capacidade de 72 kilowatts, para alimentar uma escola de 8 salas de aula, habitações e um orfanato feminino da Diocese do Luena (Igreja Católica).

A propósito, sem avançar o valor financeiro injectado na instalação dos dois sistemas solares, o director-geral da Total E&P Angola, Olivier Jouny, apelou aos beneficiários o uso racional e responsável da energia renovável a ser gerada pelas respectivas infra-estruturas.  

Em nota de imprensa, chegada esta sexta-feira à ANGOP, o director-geral refere que a doação enquadra-se na responsabilidade social da empresa, que conta com 34 projectos sociais implementados em 12 províncias do país. 

Segundo o responsável, os respectivos projectos abrangem os sectores da Educacão, Juventude e Desportos, Empreendedorismo, Ambiente, Cultura e Património, visando reforçar o empoderamento socioeconómico das populações. 

Com uma história em Angola de cerca de 70 anos, a Total E&P Angola faz parte da multinacional francesa TotalEnergies, sendo a 5ª maior produtora de energia no mundo, instalado nos cinco continentes, com operações em mais de 130 países e perto de 100 mil colaboradores.

Em Angola, a Total explora petróleo nos blocos 3, 17 e 32, empregando mais de 1.700 trabalhadores.

 

 

O primeiro sistema solar, composto por um contentor com 96 módulos de painéis fotovoltaicos e com uma capacidade de 36 kilowatts (kW) de potência, foi instalado no distrito urbano de Viana (Luanda), para fornecer energia a uma escola com 30 salas de aula, habitações do corpo directivo e de professores, assim como ao centro de acolhimento “Vivência Feliz”. 

Já no Moxico, foi instalado um contentor com 192 módulos de painéis solares com capacidade de 72 kilowatts, para alimentar uma escola de 8 salas de aula, habitações e um orfanato feminino da Diocese do Luena (Igreja Católica).

A propósito, sem avançar o valor financeiro injectado na instalação dos dois sistemas solares, o director-geral da Total E&P Angola, Olivier Jouny, apelou aos beneficiários o uso racional e responsável da energia renovável a ser gerada pelas respectivas infra-estruturas.  

Em nota de imprensa, chegada esta sexta-feira à ANGOP, o director-geral refere que a doação enquadra-se na responsabilidade social da empresa, que conta com 34 projectos sociais implementados em 12 províncias do país. 

Segundo o responsável, os respectivos projectos abrangem os sectores da Educacão, Juventude e Desportos, Empreendedorismo, Ambiente, Cultura e Património, visando reforçar o empoderamento socioeconómico das populações. 

Com uma história em Angola de cerca de 70 anos, a Total E&P Angola faz parte da multinacional francesa TotalEnergies, sendo a 5ª maior produtora de energia no mundo, instalado nos cinco continentes, com operações em mais de 130 países e perto de 100 mil colaboradores.

Em Angola, a Total explora petróleo nos blocos 3, 17 e 32, empregando mais de 1.700 trabalhadores.