Transacções via telemóvel vão render AKz 900 milhões

  • Kwanza, moeda angolana
Luanda - Novecentos milhões de kwanzas é o valor que a empresa 5Linhas, S.A., detentora do Sistema de Pagamentos “AKI”, espera facturar até ao final deste ano, revelou hoje, em Luanda, o director-geral da sociedade, Denivaldo Neto.

De acordo com o gestor, o valor será facturado pelas transacções financeiras e pagamentos de forma instantânea, a partir de um telemóvel aos mais de 15 mil clientes registados na plataforma.

Explicou que o AKI é um sistema de pagamentos (aplicativo) pelo qual as pessoas realizam transacções a partir de um telemóvel sem a necessidade de ter uma conta bancária associada.

Denivaldo Neto disse que o sistema de pagamento é uma solução digital que está disponível em toda Angola, garantindo sempre a componente da segurança dos serviços prestados.

O empresário disse que a empresa tem estado a apostar na literacia financeira, para inclusão das pessoas que estão fora do sistema financeiro.

“Muitas das vezes essas pessoas são de renda mais baixa e com muita dificuldade de acesso a produtos e serviços. Para elas compreenderem primeiro o que estamos a fazer”, reforçou.

O AKI surge da vontade em ajudar pequenos comerciantes a agregarem valor ao seu negócio, em dar oportunidade a outros jovens como criar o próprio negócio, primeiro emprego e em disponibilizar serviços financeiros a todos os Angolanos.

O AKI é um concentrador de serviços de pagamentos por intermédio do qual os utilizadores poderão encontrar de forma rápida, simples, num variado leque de ofertas de bens e serviços.

Para as compras do dia-a-dia, pagar bens e serviços, levantar, transferir e depositar dinheiro com toda a segurança e simplicidade, nasceu um sistema mais simples que um banco.

De acordo com o gestor, o valor será facturado pelas transacções financeiras e pagamentos de forma instantânea, a partir de um telemóvel aos mais de 15 mil clientes registados na plataforma.

Explicou que o AKI é um sistema de pagamentos (aplicativo) pelo qual as pessoas realizam transacções a partir de um telemóvel sem a necessidade de ter uma conta bancária associada.

Denivaldo Neto disse que o sistema de pagamento é uma solução digital que está disponível em toda Angola, garantindo sempre a componente da segurança dos serviços prestados.

O empresário disse que a empresa tem estado a apostar na literacia financeira, para inclusão das pessoas que estão fora do sistema financeiro.

“Muitas das vezes essas pessoas são de renda mais baixa e com muita dificuldade de acesso a produtos e serviços. Para elas compreenderem primeiro o que estamos a fazer”, reforçou.

O AKI surge da vontade em ajudar pequenos comerciantes a agregarem valor ao seu negócio, em dar oportunidade a outros jovens como criar o próprio negócio, primeiro emprego e em disponibilizar serviços financeiros a todos os Angolanos.

O AKI é um concentrador de serviços de pagamentos por intermédio do qual os utilizadores poderão encontrar de forma rápida, simples, num variado leque de ofertas de bens e serviços.

Para as compras do dia-a-dia, pagar bens e serviços, levantar, transferir e depositar dinheiro com toda a segurança e simplicidade, nasceu um sistema mais simples que um banco.