Transformação do Porto do Lobito em “landlord port” vai melhorar o seu desempenho

  • Ministro dos Transportes, Ricardo D´Abreu
Lobito – A transformação do Porto do Lobito (província de Benguela) num “landlord port” (porto senhorio) vai melhorar significativamente o seu desempenho, como já sucede há décadas em Luanda, assegurou esta quinta-feira, o ministro dos Transportes, Ricardo D’Abreu.

Intervindo na abertura do primeiro fórum de quadros daquela empresa portuária, via teleconferência, o ministro justificou o facto com  a entrada de entidades privadas de renome internacional e de idoneidade técnica e financeira.

Fez questão de lembrar que o lançamento do concurso público internacional para privatização dos terminais do Porto do Lobito está agendado para o segundo trimestre deste ano.

Para ele, o que faz uma boa empresa são as pessoas focadas nos seus objectivos e metas, para torná-la cada vez mais viável e rentável.

 “O seu desempenho vai proporcionar  melhores condições remuneratórias, contínuo processo de capacitação e valorização do capital humano e consequentemente melhor qualidade de vida aos  trabalhadores e respectivas famílias”, alertou o governante.

Por sua vez, a directora do Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatística, Vanessa Katila, debruçou-se sobre as vantagens da empresa em deixar de ser operadora para passar a porto senhorio.

Vanessa Katila, que fez uma abordagem sobre o tema “o Porto do Lobito ontem, hoje e amanhã” , explicou aos presentes que, nesta condição, a empresa vai cuidar da gestão pública, enquanto o sector privado será o responsável pelas infra-estruturas portuárias sobre forma de concessão.

O aumento da competitividade, a eficiência e diversificação de serviços, a redução de custos e fomento da concorrência, são outros benefícios que virão em função da transformação da empresa em porto senhorio.

Durante o fórum, a ser realizado em dois dias, serão igualmente discutidos temas como o plano de ordenamento portuário, as concessões portuárias, o futuro da navegação em Angola, a análise e decisões de investimentos e alterações ao código penal e o processo penal angolano e aplicação para as empresas públicas.

Ainda no âmbito da celebração do seu 93º aniversário (24 de Março), o Porto do Lobito vai realizar actividades de acção social, com destaque para as intervenções na maternidade, a visita ao seu campo agrícola e a entrega simbólica das chaves do condomínio “José Carlos Gomes”, com 15 edifícios do tipo T3, para diminuir a carência habitacional no seio dos seus trabalhadores.

Intervindo na abertura do primeiro fórum de quadros daquela empresa portuária, via teleconferência, o ministro justificou o facto com  a entrada de entidades privadas de renome internacional e de idoneidade técnica e financeira.

Fez questão de lembrar que o lançamento do concurso público internacional para privatização dos terminais do Porto do Lobito está agendado para o segundo trimestre deste ano.

Para ele, o que faz uma boa empresa são as pessoas focadas nos seus objectivos e metas, para torná-la cada vez mais viável e rentável.

 “O seu desempenho vai proporcionar  melhores condições remuneratórias, contínuo processo de capacitação e valorização do capital humano e consequentemente melhor qualidade de vida aos  trabalhadores e respectivas famílias”, alertou o governante.

Por sua vez, a directora do Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatística, Vanessa Katila, debruçou-se sobre as vantagens da empresa em deixar de ser operadora para passar a porto senhorio.

Vanessa Katila, que fez uma abordagem sobre o tema “o Porto do Lobito ontem, hoje e amanhã” , explicou aos presentes que, nesta condição, a empresa vai cuidar da gestão pública, enquanto o sector privado será o responsável pelas infra-estruturas portuárias sobre forma de concessão.

O aumento da competitividade, a eficiência e diversificação de serviços, a redução de custos e fomento da concorrência, são outros benefícios que virão em função da transformação da empresa em porto senhorio.

Durante o fórum, a ser realizado em dois dias, serão igualmente discutidos temas como o plano de ordenamento portuário, as concessões portuárias, o futuro da navegação em Angola, a análise e decisões de investimentos e alterações ao código penal e o processo penal angolano e aplicação para as empresas públicas.

Ainda no âmbito da celebração do seu 93º aniversário (24 de Março), o Porto do Lobito vai realizar actividades de acção social, com destaque para as intervenções na maternidade, a visita ao seu campo agrícola e a entrega simbólica das chaves do condomínio “José Carlos Gomes”, com 15 edifícios do tipo T3, para diminuir a carência habitacional no seio dos seus trabalhadores.