Inadec regista menos 107 infracções económicas no Uíge

Uíge - Cento e 33 infracções económicos foram registadas de Janeiro a Dezembro do ano 2020, na província do Uíge, menos 107 em relação ao mesmo período de 2019, informou esta quarta-feira o chefe do departamento do Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (Inadec), Francisco João.

Justificou que se registou menos infracções, em 2020, devido aos constantes  apelos feito aos agentes económicos para o cumprimento das leis do consumidor, melhoria das condições de conservação dos produtos comerciais, entre outras medidas.

O responsável em exercício, explicou à ANGOP, quando fazia o balanço da actividade do Inadec no Uíge, que as infracções têm a ver com a venda de produtos fora do prazo, mau estado de conservação  e a especulação de preços.

Quanto à apreensão de produtos expirados, no período em referência, o Inadec apreendeu 538 sacos de arroz, 30 sacos de fuba de milho, 380 de cebola estragadas e 37 frascos de álcool em gelo, por especulação de preços.

Esclareceu que infracções foram registadas em sete estabelecimentos comerciais, devido às denúncias e visitas efectuadas pelo Inadec a esses estabelecimentos, tendo acrescentado que os incumprimentos resultaram na punição com multas.

No mesmo período, a instituição recebeu 18 denúncias e 50 reclamações, das quais 34 resolvidos e 16 em tratamento.

Ao se referir aos consumidores, Francisco João apelou às famílias no sentido de prestarem maior atenção à compra dos produtos alimentares, verificando sempre a data e a qualidade de produtos.

Justificou que se registou menos infracções, em 2020, devido aos constantes  apelos feito aos agentes económicos para o cumprimento das leis do consumidor, melhoria das condições de conservação dos produtos comerciais, entre outras medidas.

O responsável em exercício, explicou à ANGOP, quando fazia o balanço da actividade do Inadec no Uíge, que as infracções têm a ver com a venda de produtos fora do prazo, mau estado de conservação  e a especulação de preços.

Quanto à apreensão de produtos expirados, no período em referência, o Inadec apreendeu 538 sacos de arroz, 30 sacos de fuba de milho, 380 de cebola estragadas e 37 frascos de álcool em gelo, por especulação de preços.

Esclareceu que infracções foram registadas em sete estabelecimentos comerciais, devido às denúncias e visitas efectuadas pelo Inadec a esses estabelecimentos, tendo acrescentado que os incumprimentos resultaram na punição com multas.

No mesmo período, a instituição recebeu 18 denúncias e 50 reclamações, das quais 34 resolvidos e 16 em tratamento.

Ao se referir aos consumidores, Francisco João apelou às famílias no sentido de prestarem maior atenção à compra dos produtos alimentares, verificando sempre a data e a qualidade de produtos.