União Europeia vai formar empresários angolanos

  • Embaixadora da União Europeia em Angola, Jeannette Seppen
Lubango – A União Europeia projecta, para este ano, a promoção de cursos de graduação dirigido a empresários angolanos, como forma de impulsionar a diversificação da economia.

O plano visa o reforço do programa de capacitação institucional e  técnica que a organização tem vindo a prestar ao empresariado nacional.

No encontro que manteve hoje, quarta-feira, na província da Huíla, com os empresários locais, a embaixadora da União Europeia em Angola, Jeanntte Seppen, disse que a organização   já está melhorar os programas de formação dirigido á classe, cujos reflexos serão sentidos brevemente.

Segundo a diplomata, que terminou hoje uma visita de dois dias à Huíla, o foco da UE para os próximos anos é apoiar os empresários, no âmbito de uma parceria integrada na diversificação da economia de Angola, onde o sector privado desempenha o papel crucial.

“Temos uma parceria com Angola desde 1986 e reforçada em 2012, quando assinamos o chamado «caminho conjunto», pelo que estamos aqui para conjuntamente assegurarmos um melhor desenvolvimento do país, já que a economia funciona melhor quando o governo dá esse apoio”, frisou.

Observou que para além da cooperação entre as partes, a UE pode facilitar a cooperação entre as empresas nacionais com as dos Estados-membros.

Há quatro meses no cargo, a embaixadora realçou que do pouco que viu, Angola lhe dá “muita” confiança, pois há um “espírito verdadeiro” de fazer crescer o país.

Empresários saúdam iniciativa

No encontro, o presidente da Associação de Operadores de Turismo da Huíla, João Lopes, afirmou que, pela experiência, a UE pode ajudar Angola a promover melhor o sector, sobretudo, nesta fase da pandemia, em que o sector foi muito afectado.

Já o presidente da Associação Agro-pecuária Comercial de Industrial da Huíla, AAPCIL, Paulo Gaspar, admitiu que o grande problema que os empresários enfrentam está na formação, daí a importância deste plano.

Os empresários da Huíla, com um dos mais antigos grémios, existente desde 1992, mantêm laços com homólogos de Strasburgo, na França, da região de l´Aquila, na Itália, Nuremberg, na Alemanha, assim como Lisboa e Porto, em Portugal.

Desta cooperação já beneficiaram de várias formações e estabeleceram parcerias, acções desenvolvidas desde 2012.

 

 

O plano visa o reforço do programa de capacitação institucional e  técnica que a organização tem vindo a prestar ao empresariado nacional.

No encontro que manteve hoje, quarta-feira, na província da Huíla, com os empresários locais, a embaixadora da União Europeia em Angola, Jeanntte Seppen, disse que a organização   já está melhorar os programas de formação dirigido á classe, cujos reflexos serão sentidos brevemente.

Segundo a diplomata, que terminou hoje uma visita de dois dias à Huíla, o foco da UE para os próximos anos é apoiar os empresários, no âmbito de uma parceria integrada na diversificação da economia de Angola, onde o sector privado desempenha o papel crucial.

“Temos uma parceria com Angola desde 1986 e reforçada em 2012, quando assinamos o chamado «caminho conjunto», pelo que estamos aqui para conjuntamente assegurarmos um melhor desenvolvimento do país, já que a economia funciona melhor quando o governo dá esse apoio”, frisou.

Observou que para além da cooperação entre as partes, a UE pode facilitar a cooperação entre as empresas nacionais com as dos Estados-membros.

Há quatro meses no cargo, a embaixadora realçou que do pouco que viu, Angola lhe dá “muita” confiança, pois há um “espírito verdadeiro” de fazer crescer o país.

Empresários saúdam iniciativa

No encontro, o presidente da Associação de Operadores de Turismo da Huíla, João Lopes, afirmou que, pela experiência, a UE pode ajudar Angola a promover melhor o sector, sobretudo, nesta fase da pandemia, em que o sector foi muito afectado.

Já o presidente da Associação Agro-pecuária Comercial de Industrial da Huíla, AAPCIL, Paulo Gaspar, admitiu que o grande problema que os empresários enfrentam está na formação, daí a importância deste plano.

Os empresários da Huíla, com um dos mais antigos grémios, existente desde 1992, mantêm laços com homólogos de Strasburgo, na França, da região de l´Aquila, na Itália, Nuremberg, na Alemanha, assim como Lisboa e Porto, em Portugal.

Desta cooperação já beneficiaram de várias formações e estabeleceram parcerias, acções desenvolvidas desde 2012.