Município do Nzeto ganha centro de apoio à pesca artesanal

Mbanza Kongo – O município do Nzeto, na província do Zaire, conta, desde sexta-feira, com um Centro Integrado de Apoio à Pesca Artesanal, com capacidade de processamento de seis toneladas de pescado por dia.

Inaugurado pela secretária de Estado das Pescas, Esperança Maria da Costa, o empreendimento conta com sala de processamento do pescado, unidade de produção da farinha de peixe, secador solar, túnel de congelação com capacidade para 15 toneladas, câmara frigorífica e fábrica de gelo.

O centro possui ainda loja de venda de material de pesca, oficina mecânica naval, área administrativa, sala de formação, bomba de combustível, entre outros compartimentos.

Avaliado em dois milhões e 864 mil dólares, financiados pelo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), o empreendimento foi construído em cinco anos e criou 92 postos de trabalho directos e 55 indirectos.

Intervindo no acto de inauguração, a secretária de Estado das Pescas afirmou que os centros de apoio à pesa artesanal são elementos fundamentais na organização e coordenação da fileira da pesca no país.

“Este empreendimento, que está equipado para atender também a pesca continental, conta com painéis solares que vão permitir a melhoria da qualidade do peixe seco processado, e, em consequência, dos rendimentos das pessoas envolvidas e da segurança alimentar dos cidadãos”, referiu.

Por seu turno, o governador do Zaire, Pedro Makita Armando Júlia, salientou que o centro constitui mais-valia para o relançamento do sector pesqueiro na região, por proporcionar condições condignas de higiene e de conservação do pescado.

A costa marítima da província do Zaire compreende 250 quilómetros que abarcam os municípios do Nzeto, Soyo e Tomboco.

Espécies como mariscos, bagre, cachucho, garoupa, sardinha, corvina, tubarão, linguado, carapau, pungo, entre outras, abundam ao longo da sua extensão.

Inaugurado pela secretária de Estado das Pescas, Esperança Maria da Costa, o empreendimento conta com sala de processamento do pescado, unidade de produção da farinha de peixe, secador solar, túnel de congelação com capacidade para 15 toneladas, câmara frigorífica e fábrica de gelo.

O centro possui ainda loja de venda de material de pesca, oficina mecânica naval, área administrativa, sala de formação, bomba de combustível, entre outros compartimentos.

Avaliado em dois milhões e 864 mil dólares, financiados pelo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), o empreendimento foi construído em cinco anos e criou 92 postos de trabalho directos e 55 indirectos.

Intervindo no acto de inauguração, a secretária de Estado das Pescas afirmou que os centros de apoio à pesa artesanal são elementos fundamentais na organização e coordenação da fileira da pesca no país.

“Este empreendimento, que está equipado para atender também a pesca continental, conta com painéis solares que vão permitir a melhoria da qualidade do peixe seco processado, e, em consequência, dos rendimentos das pessoas envolvidas e da segurança alimentar dos cidadãos”, referiu.

Por seu turno, o governador do Zaire, Pedro Makita Armando Júlia, salientou que o centro constitui mais-valia para o relançamento do sector pesqueiro na região, por proporcionar condições condignas de higiene e de conservação do pescado.

A costa marítima da província do Zaire compreende 250 quilómetros que abarcam os municípios do Nzeto, Soyo e Tomboco.

Espécies como mariscos, bagre, cachucho, garoupa, sardinha, corvina, tubarão, linguado, carapau, pungo, entre outras, abundam ao longo da sua extensão.