Cooperativas de pescadores no Nóqui recebem embarcações

Mbanza Kongo – Três cooperativas de pescadores no município do Nóqui, província do Zaire, beneficiaram na terça-feira de uma pequena embarcação a motor cada, visando dinamizar a actividade.

Os meios foram adquiridos pela Administração Municipal, no âmbito do Programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Fome. A entrega foi testemunhada pelo governador provincial, Pedro Makita Armando Júlia.

Os cooperativistas, que praticam a pesca continental através do rio Zaire, receberam também anzóis, redes, bóias, colectes de salva vidas, rolos de cordas, entre outros acessórios para a prática da actividade.

De acordo com o responsável da cooperativa denominada TxiaTxia, José Makanzu André, o volume de captura do pescado poderá triplicar, nos próximos tempos, com a disponibilização destes meios.

Explicou que, actualmente, a produção oscila entre cinco e 10 quilogramas por dia com recurso a ferramentas rudimentares, sendo o bagre, a tilápia (cacusso) e os mariscos são as principais variedades de pescado mais retiradas do rio Zaire.

Outro pescador, Pedro Pascoal, disse que o material recebido já era esperado há anos, pelo que prometeu cuidá-lo, rentabilizá-lo e empregar alguns jovens que estão sem ocupação formal.

Revelou que vende o seu peixe no mercado local, conforme orientação das autoridades administrativas, de modo a combater a fome e diversificar a dieta alimentar da população.

Em declarações à imprensa, o administrador municipal, Manuel José António, informou que o valor global das três embarcações é de  12 milhões de kwanzas.

Pediu aos beneficiários a cuidarem das ferramentas que receberam e a comercializar o produto da sua actividade na localidade, ao invés de o escoar para o país vizinho (RDC), como tem sido habitual.

A vila do Nóqui é banhada pelo rio Zaire.

 

 

 

 

 

 

 

Os meios foram adquiridos pela Administração Municipal, no âmbito do Programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Fome. A entrega foi testemunhada pelo governador provincial, Pedro Makita Armando Júlia.

Os cooperativistas, que praticam a pesca continental através do rio Zaire, receberam também anzóis, redes, bóias, colectes de salva vidas, rolos de cordas, entre outros acessórios para a prática da actividade.

De acordo com o responsável da cooperativa denominada TxiaTxia, José Makanzu André, o volume de captura do pescado poderá triplicar, nos próximos tempos, com a disponibilização destes meios.

Explicou que, actualmente, a produção oscila entre cinco e 10 quilogramas por dia com recurso a ferramentas rudimentares, sendo o bagre, a tilápia (cacusso) e os mariscos são as principais variedades de pescado mais retiradas do rio Zaire.

Outro pescador, Pedro Pascoal, disse que o material recebido já era esperado há anos, pelo que prometeu cuidá-lo, rentabilizá-lo e empregar alguns jovens que estão sem ocupação formal.

Revelou que vende o seu peixe no mercado local, conforme orientação das autoridades administrativas, de modo a combater a fome e diversificar a dieta alimentar da população.

Em declarações à imprensa, o administrador municipal, Manuel José António, informou que o valor global das três embarcações é de  12 milhões de kwanzas.

Pediu aos beneficiários a cuidarem das ferramentas que receberam e a comercializar o produto da sua actividade na localidade, ao invés de o escoar para o país vizinho (RDC), como tem sido habitual.

A vila do Nóqui é banhada pelo rio Zaire.