Nóqui prevê colher mais de 150 toneladas de hortaliças

  • Campo agrícola
Mbanza Kongo – O sector da agricultura no município fronteiriço do Nóqui, província do Zaire, prevê colher, nesta época agrícola 2020/2021, 167 toneladas de hortaliças diversas, informou esta terça-feira, o director municipal da Agricultura, Tuzolana Mudiambu.

Em declarações à ANGOP, o responsável explicou que para o alcance desta meta foram preparados 600 hectares de terras aráveis em diversas localidades da circunscrição, numa empreitada que envolve 150 famílias camponesas. 

Sem avançar dados comparativos, Tuzolana Mudiambu informou terem sido disponibilizados quantidades consideráveis de insumos agrícolas, com destaque para sementes, moto-bombas, fertilizantes, enxadas, catanas e machados, bens adquiridos pela Administração Municipal no quadro do programa de combate à fome e redução da pobreza.

Explicou que a preparação mecanizada de terras para o cultivo de verduras ou legumes na região enquadra-se na terceira época da campanha agrícola 2020/2021, que teve início em Maio e termina no próximo mês de Setembro do ano em curso.

O director da agricultura no Nóqui disse também que o sector que dirige tem recebido assistência técnica do Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA) sobre a capacitação dos agricultores locais sobre as novas técnicas de cultivo.

“Distribuímos a seis cooperativas controladas pelo sector da agricultura aqui no Nóqui, quantidades consideráveis de sementes de cebola, tomate, repolho, couve, beringela e pimenta”, explicou.

Situado a 150 quilómetros da cidade de Mbanza Kongo, o município do Nóqui é potencialmente agrícola, sendo a mandioca, citrinos, milho, jinguba, feijão macunde, feijão, banana, gergelim e batata-doce, os produtos mais cultivados.

A localidade tem uma população estimada em mais de 23 mil habitantes distribuídos em três comunas: Lufico, Mpala e Sede.

 

 

 

Em declarações à ANGOP, o responsável explicou que para o alcance desta meta foram preparados 600 hectares de terras aráveis em diversas localidades da circunscrição, numa empreitada que envolve 150 famílias camponesas. 

Sem avançar dados comparativos, Tuzolana Mudiambu informou terem sido disponibilizados quantidades consideráveis de insumos agrícolas, com destaque para sementes, moto-bombas, fertilizantes, enxadas, catanas e machados, bens adquiridos pela Administração Municipal no quadro do programa de combate à fome e redução da pobreza.

Explicou que a preparação mecanizada de terras para o cultivo de verduras ou legumes na região enquadra-se na terceira época da campanha agrícola 2020/2021, que teve início em Maio e termina no próximo mês de Setembro do ano em curso.

O director da agricultura no Nóqui disse também que o sector que dirige tem recebido assistência técnica do Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA) sobre a capacitação dos agricultores locais sobre as novas técnicas de cultivo.

“Distribuímos a seis cooperativas controladas pelo sector da agricultura aqui no Nóqui, quantidades consideráveis de sementes de cebola, tomate, repolho, couve, beringela e pimenta”, explicou.

Situado a 150 quilómetros da cidade de Mbanza Kongo, o município do Nóqui é potencialmente agrícola, sendo a mandioca, citrinos, milho, jinguba, feijão macunde, feijão, banana, gergelim e batata-doce, os produtos mais cultivados.

A localidade tem uma população estimada em mais de 23 mil habitantes distribuídos em três comunas: Lufico, Mpala e Sede.