Banco Mundial financia produção de sabão artesanal nas escolas

  • Governador de Malange, Norberto dos Santos
Malanje – Vinte e três milhões de Kwanzas foi disponibilizado pelo Banco Mundial (BM), para a produção de sabão artesanal nas escolas do ensino primário dos 14 municípios da província de Malanje, para prevenir a Covid-19.

A informação foi avançada esta segunda-feira, pelo director do gabinete provincial da Educação, Manuel Osório, durante o curso de fabricação de sabão artesanal, tendo referido que cada município vai beneficiar de um valor que varia entre 512 mil e 5 milhões de kwanzas, para a compra de soda cáustica, corantes, óleo usado e outros produtos de fabricação do detergente.

Fez saber que cada município terá a responsabilidade de produzir 33 mil 672 barras de sabão mensalmente.

Ao proceder a abertura da formação, o governador provincial de Malanje, Norberto dos Santos “ Kwata Kanawa” considerou a produção de sabão artesanal nas escolas, como sendo uma mais-valia, tendo em conta que servirá para a higienização dos alunos e professores das escolas primárias e do I ciclo do ensino secundários.

Na ocasião, a formadora nacional do Ministério da Educação, Juliana Henriques, fez saber que devido o retorno das aulas no ensino primário, houve a necessidade de se criar 168 centros municipais de produção de sabão ao nível do país, de modo a garantir a frequência das actividades de limpeza, desinfecção e melhoramento das práticas de higiene aos alunos e professores.

Acrescentou que a meta do Ministério da Educação é capacitar 628 trabalhadores dos 168 centros de produção de sabão de todo o país.

Participam do curso com duração de um dia, 56 formandos oriundos dos 14 municípios da província de Malanje.

A informação foi avançada esta segunda-feira, pelo director do gabinete provincial da Educação, Manuel Osório, durante o curso de fabricação de sabão artesanal, tendo referido que cada município vai beneficiar de um valor que varia entre 512 mil e 5 milhões de kwanzas, para a compra de soda cáustica, corantes, óleo usado e outros produtos de fabricação do detergente.

Fez saber que cada município terá a responsabilidade de produzir 33 mil 672 barras de sabão mensalmente.

Ao proceder a abertura da formação, o governador provincial de Malanje, Norberto dos Santos “ Kwata Kanawa” considerou a produção de sabão artesanal nas escolas, como sendo uma mais-valia, tendo em conta que servirá para a higienização dos alunos e professores das escolas primárias e do I ciclo do ensino secundários.

Na ocasião, a formadora nacional do Ministério da Educação, Juliana Henriques, fez saber que devido o retorno das aulas no ensino primário, houve a necessidade de se criar 168 centros municipais de produção de sabão ao nível do país, de modo a garantir a frequência das actividades de limpeza, desinfecção e melhoramento das práticas de higiene aos alunos e professores.

Acrescentou que a meta do Ministério da Educação é capacitar 628 trabalhadores dos 168 centros de produção de sabão de todo o país.

Participam do curso com duração de um dia, 56 formandos oriundos dos 14 municípios da província de Malanje.