Lombuale ganha escola primária

Nharêa – Mais de seiscentas crianças da localidade de Lombuale, comuna da Gamba, no município da Nharêa, 188 quilómetros a norte da cidade do Cuito, na província do Bié, ganharam , nesta quinta-feira, uma escola de seis salas de aulas, construída no âmbito do Plano Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza (PIDLCP).

A infra-estrutura inaugurada custou dos cofes do Estado 48 milhões 240 mil e 500 Kwanzas.

O coordenador da educação, Eduardo Feliciano, informou que 627 crianças que estudavam em salas improvisadas, colocadas em capelas, debaixo das árvores e outras, ganham, desta forma, uma infra-estrutura definitiva.

Informou que face a situação da Covid-19, houve a desistência de 93 criançaso, dos quatro mil 786 alunos matriculados distribuidos em nove salas de aulas improvisadas.

O sector conta com 12 professores ligados ao projecto Todos Unidos pela Primeira Infância (TUPPI) levado a cabo pelo Ministério da Educação, a ser desenvolvido, numa primeira fase, nos municípios da Nharêa, Catabola e Camacupa.

O projecto, de acordo com a administradora municipal da Nharêa, Maria Lúcia Chicapa, remete a ideia da união entre os sectores da Educação, Saúde, Justiça e Ambiente, sendo que está a se desenvolver nas aldeias de Sangula, Catonga, Camissanga, Antonino e Lombuale, respectivamente.

Na municipalidade, o projecto TUPPI foi lançado em Junho de 2019 e visa alavancar o desenvolvimento integral das crianças até aos seis anos de idade mediante aplicação de estratégia inter-sectorial baseada no protagonismo da família, com a participação activa da comunidade.

Na ocasião, o vice-governador do Bié para o sector político, social e económico, António Manuel, disse a escola vai permitir  a melhor acomodação dos alunos e professores.

O responsável destacou o PIIM e o PIDLCP como programas que estão a acelerar o desenvolvimento das comunidades através da construção de infraestruturas sociais para o bem-estar das populações.

 

A infra-estrutura inaugurada custou dos cofes do Estado 48 milhões 240 mil e 500 Kwanzas.

O coordenador da educação, Eduardo Feliciano, informou que 627 crianças que estudavam em salas improvisadas, colocadas em capelas, debaixo das árvores e outras, ganham, desta forma, uma infra-estrutura definitiva.

Informou que face a situação da Covid-19, houve a desistência de 93 criançaso, dos quatro mil 786 alunos matriculados distribuidos em nove salas de aulas improvisadas.

O sector conta com 12 professores ligados ao projecto Todos Unidos pela Primeira Infância (TUPPI) levado a cabo pelo Ministério da Educação, a ser desenvolvido, numa primeira fase, nos municípios da Nharêa, Catabola e Camacupa.

O projecto, de acordo com a administradora municipal da Nharêa, Maria Lúcia Chicapa, remete a ideia da união entre os sectores da Educação, Saúde, Justiça e Ambiente, sendo que está a se desenvolver nas aldeias de Sangula, Catonga, Camissanga, Antonino e Lombuale, respectivamente.

Na municipalidade, o projecto TUPPI foi lançado em Junho de 2019 e visa alavancar o desenvolvimento integral das crianças até aos seis anos de idade mediante aplicação de estratégia inter-sectorial baseada no protagonismo da família, com a participação activa da comunidade.

Na ocasião, o vice-governador do Bié para o sector político, social e económico, António Manuel, disse a escola vai permitir  a melhor acomodação dos alunos e professores.

O responsável destacou o PIIM e o PIDLCP como programas que estão a acelerar o desenvolvimento das comunidades através da construção de infraestruturas sociais para o bem-estar das populações.