Mais de 16 mil crianças abandonam aulas por falta de acompanhamento dos pais

Cuito - Dezasseis mil 485 alunos da iniciação a nona classes, que frequentaram aulas em diversas escolas, no município do Cuito, província do Bié, desistiram por falta de rigor dos pais e encarregados de educação, pobreza em algumas famílias, associada ao fenómeno da Covid-19.

No presente ano lectivo prestes a terminiar, foram matriculados 161 mil 675 alunos, distribuídos em mais de 168 escolas. As aulas foram asseguradas por quatro mil 329 professores.

A administradora adjunta do Cuito para a  área Política Social e das Comunidades, Ângela Ucuanhanga, falando, nesta quarta-feira, à ANGOP, disse que, para evitar situação semelhando em 2022, estão em construção 12 escolas no quadro do Programa Integrado de Intervenção  nos Município (PIIM),  dos  40 projectos avaliados e aprovados no município.

Com a construção das referidas escolas, a administração municipal e parceiros trabalham com as comissões de moradores para  despertar a responsabilidade dos progenitores no que tange a atenção para o processo de ensino e aprendizagem dos filhos (alunos).

A ideia, adiantou, é elucidar os pais sobre a importância na aquisição de material didáctico, assegurar alimentação e cuidados higiénicos antes de a criança ir a escola, ajudar a resolver as tarefas escolares.

Com o mesmo propósito, mais de 14 mil, das 35 mil crianças fora do sistema de ensino, por insuficiência de mais escolas, vão, no próximo ano lectivo, estudar com a conclusão de 159 novas salas de aula.

A província do Bié, no quadro do PIIM poderá contar, até ao final do ano, com  450 novas salas de aula, com a construção de mais 50  escolas, na sua maior em fase de conclusão.

 

No presente ano lectivo prestes a terminiar, foram matriculados 161 mil 675 alunos, distribuídos em mais de 168 escolas. As aulas foram asseguradas por quatro mil 329 professores.

A administradora adjunta do Cuito para a  área Política Social e das Comunidades, Ângela Ucuanhanga, falando, nesta quarta-feira, à ANGOP, disse que, para evitar situação semelhando em 2022, estão em construção 12 escolas no quadro do Programa Integrado de Intervenção  nos Município (PIIM),  dos  40 projectos avaliados e aprovados no município.

Com a construção das referidas escolas, a administração municipal e parceiros trabalham com as comissões de moradores para  despertar a responsabilidade dos progenitores no que tange a atenção para o processo de ensino e aprendizagem dos filhos (alunos).

A ideia, adiantou, é elucidar os pais sobre a importância na aquisição de material didáctico, assegurar alimentação e cuidados higiénicos antes de a criança ir a escola, ajudar a resolver as tarefas escolares.

Com o mesmo propósito, mais de 14 mil, das 35 mil crianças fora do sistema de ensino, por insuficiência de mais escolas, vão, no próximo ano lectivo, estudar com a conclusão de 159 novas salas de aula.

A província do Bié, no quadro do PIIM poderá contar, até ao final do ano, com  450 novas salas de aula, com a construção de mais 50  escolas, na sua maior em fase de conclusão.