Secretário-geral do MPLA incentiva abertura da Universidade Internacional do Cuanza

  • Secretário-geral do MPLA, Paulo Pombolo
Cuito - O secretário-geral do MPLA, Paulo Pombolo, incentivou, nesta quarta-feira, a abertura da Universidade Internacional do Cuanza (UNIC), em construção na cidade do Cuito, Bié.

A infra-estrutura, que está a ser erguida numa área de 17 hectares, no bairro Caluapanda, arredores da cidade do Cuito, vai acolher mais de 12 mil estudantes, em cada ano académico. 

Numa primeira fase, a construção do campus universitário, cujas obras apresentam cerca de 90 por cento de execução física, vai comportar seis edifícios com salas de aula, áreas para a prática desportiva, auditório, restaurante e um internato para os estudantes. 

O projecto, da Fundação Iberoamericana, terá um total de 14 edifícios. Tem previsão de arrancar no próximo ano académico, com mais de cinco mil estudantes, nos cursos de graduação e pós-graduação em ciências sociais, humanas e ciências da educação, e em várias especialidades de engenharias, pela primeira vez no Bié.

Paulo Pombolo falava na cerimónia de entrega de material informático, entre material omputadores e ipads, no quadro das acções de  encorajamento de iniciativas de género que visam apostar na formação académica de jovens.

Para o presidente da Universidade Internacional do Cuanza (UNIC), Victorino Baião, que enalteceu o gesto, a acção impulsiona todo investimento do grupo.  

A província do Bié tem quatro instituições do ensino superior, sendo duas públicas (Instituto Superior Politécnico do Bié, Escola Superior Pedagógica) e igual número de privadas (Instituto Superior Politécnico do Cuito e o Instituto Superior Politécnico “Ndunduma”).

 

A infra-estrutura, que está a ser erguida numa área de 17 hectares, no bairro Caluapanda, arredores da cidade do Cuito, vai acolher mais de 12 mil estudantes, em cada ano académico. 

Numa primeira fase, a construção do campus universitário, cujas obras apresentam cerca de 90 por cento de execução física, vai comportar seis edifícios com salas de aula, áreas para a prática desportiva, auditório, restaurante e um internato para os estudantes. 

O projecto, da Fundação Iberoamericana, terá um total de 14 edifícios. Tem previsão de arrancar no próximo ano académico, com mais de cinco mil estudantes, nos cursos de graduação e pós-graduação em ciências sociais, humanas e ciências da educação, e em várias especialidades de engenharias, pela primeira vez no Bié.

Paulo Pombolo falava na cerimónia de entrega de material informático, entre material omputadores e ipads, no quadro das acções de  encorajamento de iniciativas de género que visam apostar na formação académica de jovens.

Para o presidente da Universidade Internacional do Cuanza (UNIC), Victorino Baião, que enalteceu o gesto, a acção impulsiona todo investimento do grupo.  

A província do Bié tem quatro instituições do ensino superior, sendo duas públicas (Instituto Superior Politécnico do Bié, Escola Superior Pedagógica) e igual número de privadas (Instituto Superior Politécnico do Cuito e o Instituto Superior Politécnico “Ndunduma”).