Cursos de saúde lideram procura no ISPM

  • Instituto Superior Politécnico do Moxico
Luena – O ramo das Ciências da Saúde está a liderar o índice de procura no Instituto Superior Politécnico do Moxico (ISPM), com 853 candidatos a concorrerem para 115 vagas, para o ano académico 2021/2022.

Para o próximo ano académico foram seleccionados dois mil e 192 candidatos, que vão ser submetidos a testes, com vista ao preenchimento das 555 vagas disponíveis nos oito cursos ministrados na instituição.

A ANGOP constatou que o curso de Enfermagem, com 625 candidatos, é o que regista maior procura, enquanto o de Análise Clínicas registou 228 inscrições, representando, ambos os cursos, 39 por cento do total das inscrições efectuadas em todos os módulos (mil e 192 candidatos).

No quadro da procura, Geografia e Contabilidade e Administração ,com 535 e 343, respectivamente, são as outras áreas com maior preferência dos candidatos.

No sentido inverso, os cursos do ensino da Química e Física são as áreas com menor procura, registando 78 e 103 candidatos, respectivamente.

Já os cursos de Matemática e Ciências da Computação contam com 139 e 141 candidaturas, simultaneamente.

De acordo com a distribuição de vagas, a área de Ciências da Educação (ensino da Química, Física Geografia e Matemática) tem maior número de oferta, com 260, seguida das Ciências Técnicas e Engenharias (Ciências da Computação e Contabilidade Administrativa), com um total de 180 vagas.

Recentemente, em declarações à ANGOP, o coordenador da comissão do ISPM, Ernesto Dumba Gabriel, disse que uma comissão científica tem realizado sessões para analisar propostas de implementação de cursos de mestrados e de novas licenciaturas.

Na ocasião, o responsável garantiu que a implementação dos cursos de mestrados poderá acontecer dentro de dois anos, com a prioridade a recair para as áreas de ciências de educação, engenharia e saúde.

Além do ISPM, a única pública, a província do Moxico conta com mais dois institutos superiores, com diversidade formativa.

No Instituto Superior Politécnico do Luena estão disponíveis mil e 300 vagas para o próximo académico, distribuídas em 11 cursos ministrados, segundo informou o vice-presidente para os assuntos académicos, Luíz Rolejo.

Para o próximo ano académico foram seleccionados dois mil e 192 candidatos, que vão ser submetidos a testes, com vista ao preenchimento das 555 vagas disponíveis nos oito cursos ministrados na instituição.

A ANGOP constatou que o curso de Enfermagem, com 625 candidatos, é o que regista maior procura, enquanto o de Análise Clínicas registou 228 inscrições, representando, ambos os cursos, 39 por cento do total das inscrições efectuadas em todos os módulos (mil e 192 candidatos).

No quadro da procura, Geografia e Contabilidade e Administração ,com 535 e 343, respectivamente, são as outras áreas com maior preferência dos candidatos.

No sentido inverso, os cursos do ensino da Química e Física são as áreas com menor procura, registando 78 e 103 candidatos, respectivamente.

Já os cursos de Matemática e Ciências da Computação contam com 139 e 141 candidaturas, simultaneamente.

De acordo com a distribuição de vagas, a área de Ciências da Educação (ensino da Química, Física Geografia e Matemática) tem maior número de oferta, com 260, seguida das Ciências Técnicas e Engenharias (Ciências da Computação e Contabilidade Administrativa), com um total de 180 vagas.

Recentemente, em declarações à ANGOP, o coordenador da comissão do ISPM, Ernesto Dumba Gabriel, disse que uma comissão científica tem realizado sessões para analisar propostas de implementação de cursos de mestrados e de novas licenciaturas.

Na ocasião, o responsável garantiu que a implementação dos cursos de mestrados poderá acontecer dentro de dois anos, com a prioridade a recair para as áreas de ciências de educação, engenharia e saúde.

Além do ISPM, a única pública, a província do Moxico conta com mais dois institutos superiores, com diversidade formativa.

No Instituto Superior Politécnico do Luena estão disponíveis mil e 300 vagas para o próximo académico, distribuídas em 11 cursos ministrados, segundo informou o vice-presidente para os assuntos académicos, Luíz Rolejo.