Embaixada cubana pretende apoiar Escola Angola e Cuba

  • Sala de informática da escola Angola e Cuba
Luanda - A embaixada de Cuba em Angola pretende apoiar com material didáctico, garantir a assistência médica gratuita aos alunos e na manutenção da escola Angola e Cuba, no município do Cazenga, em Luanda, no quadro da cooperação existente entre os dois países.

A intenção foi manifestada pela embaixadora de Cuba em Angola,  Esther Armenteros durante a entrega de um Memorial que representa o símbolo da cooperação dos cubanos nas áreas da educação, militar e no ramo da construção civil em Angola.

A embaixadora que esteve na escola, na quinta-feira,  em Angola existem dois mil cooperantes distribuídos  em todas as províncias, na sua maioria médicos e professores, que poderão em breve leccionar o espanhol.

Esther Armenteros fez saber que não existe cooperação ao nível do  ensino primário, sendo possível ajudar a escola Angola e Cuba, por via da  assistência em material didáctico para o ensino da língua espanhola.

O director da escola Angola e Cuba também conhecida por colégio público 3042,  Pedro Tomás, realçou que ensinar a língua espanhola aos alunos da instituição e a  manutenção da escola será o melhor presente desta cooperação.

O administrador municipal do Cazenga, Tomas Bica, disse que a escola Angola  e Cuba foi a primeira estrutura educacional em Angola que teve o apoio de Cuba,  para além de muitos angolanos terem sido enviados para estudar no país caribenho.

Disse ter ficado o compromisso da embaixadora cubana enviar médicos voluntários para prestar assistência sanitária gratuita aos alunos da escola para  estreitar a relação e aproximação,  através da escola Angola e Cuba.

O colégio público 3042 do 1 ciclo do ensino secundário ( Angola/Cuba)  beneficiou, há mais dois anos de obras de restauração como tinturas, instalação  de redes de águas, eléctrica, contra incêndios,  canalização e caixilharias, tendo sido  aproveitado o piso para se manter a historia da instituição.

Possui  20 salas de aulas, sala de informática com 41 computadores, biblioteca, anfiteatro, áreas administrativas, sala de reuniões, posto de saúde, espaços de lazer e ponto de acesso a internet Angola Online.
 

A intenção foi manifestada pela embaixadora de Cuba em Angola,  Esther Armenteros durante a entrega de um Memorial que representa o símbolo da cooperação dos cubanos nas áreas da educação, militar e no ramo da construção civil em Angola.

A embaixadora que esteve na escola, na quinta-feira,  em Angola existem dois mil cooperantes distribuídos  em todas as províncias, na sua maioria médicos e professores, que poderão em breve leccionar o espanhol.

Esther Armenteros fez saber que não existe cooperação ao nível do  ensino primário, sendo possível ajudar a escola Angola e Cuba, por via da  assistência em material didáctico para o ensino da língua espanhola.

O director da escola Angola e Cuba também conhecida por colégio público 3042,  Pedro Tomás, realçou que ensinar a língua espanhola aos alunos da instituição e a  manutenção da escola será o melhor presente desta cooperação.

O administrador municipal do Cazenga, Tomas Bica, disse que a escola Angola  e Cuba foi a primeira estrutura educacional em Angola que teve o apoio de Cuba,  para além de muitos angolanos terem sido enviados para estudar no país caribenho.

Disse ter ficado o compromisso da embaixadora cubana enviar médicos voluntários para prestar assistência sanitária gratuita aos alunos da escola para  estreitar a relação e aproximação,  através da escola Angola e Cuba.

O colégio público 3042 do 1 ciclo do ensino secundário ( Angola/Cuba)  beneficiou, há mais dois anos de obras de restauração como tinturas, instalação  de redes de águas, eléctrica, contra incêndios,  canalização e caixilharias, tendo sido  aproveitado o piso para se manter a historia da instituição.

Possui  20 salas de aulas, sala de informática com 41 computadores, biblioteca, anfiteatro, áreas administrativas, sala de reuniões, posto de saúde, espaços de lazer e ponto de acesso a internet Angola Online.