Ensino Superior trabalha na melhoria da investigação científica

  • Huíla: Domingos da Silva Neto - Secretário de Estado para a Ciência  Tecnologia e Inovação
Lubango – A actualização do quadro legal das instituições de ensino superior em Angola vai permitir, pela primeira vez, formalizar a inserção de infra-estruturas de apoio à inovação e empreendedorismo, assim como melhorar a investigação científica.

Trata-se de um conjunto de acções e exigências que vão reforçar o alinhamento das instituições aos padrões internacionais, de forma a contribuir para o aumento do foco na realização de actividades de investigação científica e com isso fomentar a extensão dos resultados a obter.

 

O facto foi hoje, segunda-feira, no Lubango, dado a conhecer pelo secretário de Estado para a Ciência, Tecnologia e Inovação, Domingos da Silva Neto, na abertura do Seminário sobre Organização, Estruturação e Padronização das Actividades de Investigação Ccientífica, Desenvolvimento, Inovação e Empreendedorismo nas instituições do ensino superior.

Para ele, o objectivo é que se melhore, nos próximos anos, o desempenho científico e tecnológico em Angola e passar a fazer parte dos melhores rankings na investigação científica e na inovação.

Disse que o Ministério do Ensino Superior pretende com este ciclo de formação reforçar a organização, a estruturação e a padronização da implementação de actividades de investigação científica e de desenvolvimento.

Já o vice-reitor para a área da administração e gestão da Universidade Mandume Ya Ndemufayo (UMN), Sebastião António, afirmou que a acção formativa constitui um dos pilares que sustentam a actividade universitária, porque vai ajudar a estruturar, organizar, melhorar e produzir o conhecimento científico e dar resposta ao trabalho investigativo.

Considerou que os resultados deste trabalho devem ser publicados, para melhorar as performances como instituições do ensino superior de uma forma geral, daí a necessidade do seu aproveitamento para que os resultados possam reflectir-se nos espaços que as instituições do ensino poderão dar nos próximos tempos.

O evento científico, organizado pelo Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, reúne 35 participantes, entre gestores, promotores, docentes/investigadores científicos que desenvolvem as suas actividades em instituições públicas e privadas das províncias da Huíla e do Cunene.

 

Trata-se de um conjunto de acções e exigências que vão reforçar o alinhamento das instituições aos padrões internacionais, de forma a contribuir para o aumento do foco na realização de actividades de investigação científica e com isso fomentar a extensão dos resultados a obter.

 

O facto foi hoje, segunda-feira, no Lubango, dado a conhecer pelo secretário de Estado para a Ciência, Tecnologia e Inovação, Domingos da Silva Neto, na abertura do Seminário sobre Organização, Estruturação e Padronização das Actividades de Investigação Ccientífica, Desenvolvimento, Inovação e Empreendedorismo nas instituições do ensino superior.

Para ele, o objectivo é que se melhore, nos próximos anos, o desempenho científico e tecnológico em Angola e passar a fazer parte dos melhores rankings na investigação científica e na inovação.

Disse que o Ministério do Ensino Superior pretende com este ciclo de formação reforçar a organização, a estruturação e a padronização da implementação de actividades de investigação científica e de desenvolvimento.

Já o vice-reitor para a área da administração e gestão da Universidade Mandume Ya Ndemufayo (UMN), Sebastião António, afirmou que a acção formativa constitui um dos pilares que sustentam a actividade universitária, porque vai ajudar a estruturar, organizar, melhorar e produzir o conhecimento científico e dar resposta ao trabalho investigativo.

Considerou que os resultados deste trabalho devem ser publicados, para melhorar as performances como instituições do ensino superior de uma forma geral, daí a necessidade do seu aproveitamento para que os resultados possam reflectir-se nos espaços que as instituições do ensino poderão dar nos próximos tempos.

O evento científico, organizado pelo Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, reúne 35 participantes, entre gestores, promotores, docentes/investigadores científicos que desenvolvem as suas actividades em instituições públicas e privadas das províncias da Huíla e do Cunene.