Fabrico de sabão nas escolas produz primeiras mil barras no Cunene

  • Cunene: Formade Sabão
Ondjiva -Mil e 978 barras de sabão artesanal foram produzidas, nos seis municípios da província do Cunene, no quadro do projecto de fabrico e distribuição de sabão às escolas do país.

Trata-se dos primeiros sete dias de fabrico, do projecto que visa a produção de 37 mil e 362 barras de sabão no trimestre.

Inserido no plano de emergência do sector da Educação, para prevenir e combater o novo coronavírus, o projecto tem um orçamento de 23 milhões, 755 mil e 068 kwanzas, financiado pelo Banco Mundial.

Em declaração à Angop, o coordenador do projecto no Cunene, Pelágio Silikuvamwe, disse que a produção está decorrer sem grandes sobressaltos, realçando que actualmente encontra-se disponível kits de produção de sabão, como soda cáustica, óleo, amaciadores e formas.

Fez saber que o processo de produção está ser assegurado por 24 técnicos das direcções municipais da educação que trabalham três vezes semanais.

Disse que o sabão produzido estará disponível aos alunos 15 dias depois do fabrico, para garantir o período de confinamento e de redução da intensidade da soda cáustica.

Actualmente está-se a efectuar a catalogação das datas de produção para posterior enviou às escolas, acrescentando que o mesmo vai assegurar a higienização de 141 mil e 422 alunos, enquadrados em 775 escolas do ensino primário, nos seis municípios da província.

Entretanto, precisou que a iniciativa vai contribuir para desafogar a situação económica de muitas escolas que praticamente não possuíam condições para o asseguramento das normas de biossegurança, com o reinício das aulas no ensino primário.

A província do Cunene  possui 868 escolas,  sendo 792 do ensino primário, 56 do primeiro ciclo e 20 do segundo.

Duzentos e 35 mil 107 alunos estão matriculados no ano lectivo/2020, com as aulas a serem ministradas por seis mil 298 professores.

Trata-se dos primeiros sete dias de fabrico, do projecto que visa a produção de 37 mil e 362 barras de sabão no trimestre.

Inserido no plano de emergência do sector da Educação, para prevenir e combater o novo coronavírus, o projecto tem um orçamento de 23 milhões, 755 mil e 068 kwanzas, financiado pelo Banco Mundial.

Em declaração à Angop, o coordenador do projecto no Cunene, Pelágio Silikuvamwe, disse que a produção está decorrer sem grandes sobressaltos, realçando que actualmente encontra-se disponível kits de produção de sabão, como soda cáustica, óleo, amaciadores e formas.

Fez saber que o processo de produção está ser assegurado por 24 técnicos das direcções municipais da educação que trabalham três vezes semanais.

Disse que o sabão produzido estará disponível aos alunos 15 dias depois do fabrico, para garantir o período de confinamento e de redução da intensidade da soda cáustica.

Actualmente está-se a efectuar a catalogação das datas de produção para posterior enviou às escolas, acrescentando que o mesmo vai assegurar a higienização de 141 mil e 422 alunos, enquadrados em 775 escolas do ensino primário, nos seis municípios da província.

Entretanto, precisou que a iniciativa vai contribuir para desafogar a situação económica de muitas escolas que praticamente não possuíam condições para o asseguramento das normas de biossegurança, com o reinício das aulas no ensino primário.

A província do Cunene  possui 868 escolas,  sendo 792 do ensino primário, 56 do primeiro ciclo e 20 do segundo.

Duzentos e 35 mil 107 alunos estão matriculados no ano lectivo/2020, com as aulas a serem ministradas por seis mil 298 professores.