Governo de Luanda homenageia profissionais da educação

Luanda – O Governo de Luanda homenageou nesta segunda-feira profissionais do ramo da educação, no âmbito do dia do educador, assinalado domingo (22).

Comemorado sob o lema “Professores, liderando e promovendo mudanças em tempo de crise”, foram reconhecidos docentes, gestores, trabalhadores de secretaria, auxiliares de limpeza e proteção escolar.

A Governadora da província de Luanda, Joana Lina, que presidiu o acto, referiu que, com resiliência, localmente tudo tem sido feito para manter funcional o sistema  de educação e ensino.

No entanto, reconheceu que os tempos são difíceis devido à Covid -19, pelo que se deve encontrar soluções materiais e de biossegurança para  evitar contágios entre alunos e professores.

Segundo a dirigente, este é um ano lectivo atípico que exige, de cada um, maior esforço, criatividade e competência.

Devido à pandemia, o Executivo criou uma estratégia metodológica híbrida que acolhe aulas presenciais e à distância.

Com efeito, reduziu os tempos lectivos, suprimindo os intervalos, conteúdos programáticos, além de ter criado condições de biosegurança em todas as escolas da capital.

A província conta com mais de 25 mil professores distribuídos pelos municípios de Luanda, Kilamba Kiaxi, Talatona, Belas, Cazenga, Viana, Cacuaco, Quiçama e Icolo e Bengo.   

O dia do professor foi proclamado pelo primeiro presidente de Angola, António Agostinho Neto,  em 1977, na abertura da campanha de alfabetização na fabrica Textang II, no município do Cazenga.     

Comemorado sob o lema “Professores, liderando e promovendo mudanças em tempo de crise”, foram reconhecidos docentes, gestores, trabalhadores de secretaria, auxiliares de limpeza e proteção escolar.

A Governadora da província de Luanda, Joana Lina, que presidiu o acto, referiu que, com resiliência, localmente tudo tem sido feito para manter funcional o sistema  de educação e ensino.

No entanto, reconheceu que os tempos são difíceis devido à Covid -19, pelo que se deve encontrar soluções materiais e de biossegurança para  evitar contágios entre alunos e professores.

Segundo a dirigente, este é um ano lectivo atípico que exige, de cada um, maior esforço, criatividade e competência.

Devido à pandemia, o Executivo criou uma estratégia metodológica híbrida que acolhe aulas presenciais e à distância.

Com efeito, reduziu os tempos lectivos, suprimindo os intervalos, conteúdos programáticos, além de ter criado condições de biosegurança em todas as escolas da capital.

A província conta com mais de 25 mil professores distribuídos pelos municípios de Luanda, Kilamba Kiaxi, Talatona, Belas, Cazenga, Viana, Cacuaco, Quiçama e Icolo e Bengo.   

O dia do professor foi proclamado pelo primeiro presidente de Angola, António Agostinho Neto,  em 1977, na abertura da campanha de alfabetização na fabrica Textang II, no município do Cazenga.