Ministra reitera contínua implementação do programa de desenvolvimento científico

  • Ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Maria do Rosário Sambo
Luanda - A ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Maria Rosário Bragança, reiterou, nesta segunda-feira, em Luanda, a aposta na continuidade do programa nacional de desenvolvimento científico 2018-2022.

Maria do Rosário Sambo, que fez este pronunciamento quando procedia a abertura da reunião ordinária dos Conselhos Nacionais do Ensino Superior e da Ciência, Tecnologia e Inovação, explicou que o referido programa foi revisto em 2020 e as instituições de ensino superior devem estar cientes das acções em curso.

A governante fez saber que outro factor importante para o país, no domínio do ensino superior, é actualização do ordenamento jurídico angolano no que respeita a ciência, tecnologia e inovação.

"Passaram-se alguns anos desde que foram publicados alguns documentos reitores da ciência, tecnologia e inovação, então é imperioso fazer-se uma actualização", realçou.

Por sua vez, o director nacional do Ministério do Ensino Superior, Emanuel Catumbela, disse que foram feitos estudos para caracterizar a pós-graduação em Angola e a colaboração de instituições de ensino superior e do sector empresarial.

"As empresas procuram profissionais qualificados, temos visto o exemplo das engenharias, que procuram não só competências técnicas em engenharia, mas também comportamentais”, frisou.

Maria do Rosário Sambo, que fez este pronunciamento quando procedia a abertura da reunião ordinária dos Conselhos Nacionais do Ensino Superior e da Ciência, Tecnologia e Inovação, explicou que o referido programa foi revisto em 2020 e as instituições de ensino superior devem estar cientes das acções em curso.

A governante fez saber que outro factor importante para o país, no domínio do ensino superior, é actualização do ordenamento jurídico angolano no que respeita a ciência, tecnologia e inovação.

"Passaram-se alguns anos desde que foram publicados alguns documentos reitores da ciência, tecnologia e inovação, então é imperioso fazer-se uma actualização", realçou.

Por sua vez, o director nacional do Ministério do Ensino Superior, Emanuel Catumbela, disse que foram feitos estudos para caracterizar a pós-graduação em Angola e a colaboração de instituições de ensino superior e do sector empresarial.

"As empresas procuram profissionais qualificados, temos visto o exemplo das engenharias, que procuram não só competências técnicas em engenharia, mas também comportamentais”, frisou.