Município de Belas ganha complexo escolar

Luanda - Um complexo escolar do primeiro ciclo, avaliado em 177 milhões, 369 mil e 988 kwanzas, foi inaugurado hoje, quarta-feira, no bairro do Sossego, distrito do Cabolomgo, município de Belas, enquadrado no Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM).

O complexo escolar, para 960 alunos, era uma escola de seis salas de aulas que foi  reabilitada e ampliada para 12 salas, gabinetes diversos, casas de banho, biblioteca, sala de infomatica com mais de 20 computadores, patio, campo multiuso entre outros compartimentos, cujas obras duraram um periodo de 12 meses.

A escola para os 960 alunos, distribuidos pelos períodos da manhã e a tarde, vai leccionar da primeira a  nona classe.

O administrador municipal de Belas, Miguel de Almeida, destacou os ganhos do PIIM na melhoria da qualidade da habitabilidade e aumento de escolas na localidade, que permitiu a inserção de cerca de dez mil novos alunos.

Assumiu que uma das maiores lutas do sector da educação é baixar o número de crianças fora do sistema normal de ensino e criar melhores condições. 

De acordo com Miguel de Almeida, está salvaguardada a questão dos professores para o funcionamento dessas novas infra-estruturas.

 Por sua vez a directora da escola, Guilhermina Tati, considera a escola um  sinonimo de alegria do povo, principalmente as crianças da zona  que verão encurtada a distância que percorriam em busca do saber.

 A inauguração dos projectos gerou satisfação para a  encarregada de educação, Teresa Gaspar, por ver ampliada e melhoradas as condições do bem social colocado a disposição da comunidade.

 A encarregada de educação lembrou que no ano lectivo anterior a escola tinha as salas superlotadas sem portas, janelas e  carteiras inapropriadas.

José Simão, de 11 anos e aluno da 4 classe  contou que desde o começo da obra da nova escola, todos os dias acordava cedo só para ver se os pedreiros  estavam no local de trabalho.

Domingas Simões e Joana Borges,
 alunas da 7ª classe,  gabam-se do desenho arquitectónico da escola, estampado numa placa informativa da obra, com o logótipo do PIIM, e que atrai a curiosidade dos transeuntes.
   
Fernando Montês, municípe e ajudante da obra, afirmou que 
“é um orgulho porque além dos meus filhos amanhã poderá ser para os netos”.
 
No presente ano lectivo estão matriculados 64 mil alunos, da iniciação a 9ª classe em 54 escolas públicas, número que vai aumentar depois da conclusão das obras das 12 outras escolas.

O complexo escolar, para 960 alunos, era uma escola de seis salas de aulas que foi  reabilitada e ampliada para 12 salas, gabinetes diversos, casas de banho, biblioteca, sala de infomatica com mais de 20 computadores, patio, campo multiuso entre outros compartimentos, cujas obras duraram um periodo de 12 meses.

A escola para os 960 alunos, distribuidos pelos períodos da manhã e a tarde, vai leccionar da primeira a  nona classe.

O administrador municipal de Belas, Miguel de Almeida, destacou os ganhos do PIIM na melhoria da qualidade da habitabilidade e aumento de escolas na localidade, que permitiu a inserção de cerca de dez mil novos alunos.

Assumiu que uma das maiores lutas do sector da educação é baixar o número de crianças fora do sistema normal de ensino e criar melhores condições. 

De acordo com Miguel de Almeida, está salvaguardada a questão dos professores para o funcionamento dessas novas infra-estruturas.

 Por sua vez a directora da escola, Guilhermina Tati, considera a escola um  sinonimo de alegria do povo, principalmente as crianças da zona  que verão encurtada a distância que percorriam em busca do saber.

 A inauguração dos projectos gerou satisfação para a  encarregada de educação, Teresa Gaspar, por ver ampliada e melhoradas as condições do bem social colocado a disposição da comunidade.

 A encarregada de educação lembrou que no ano lectivo anterior a escola tinha as salas superlotadas sem portas, janelas e  carteiras inapropriadas.

José Simão, de 11 anos e aluno da 4 classe  contou que desde o começo da obra da nova escola, todos os dias acordava cedo só para ver se os pedreiros  estavam no local de trabalho.

Domingas Simões e Joana Borges,
 alunas da 7ª classe,  gabam-se do desenho arquitectónico da escola, estampado numa placa informativa da obra, com o logótipo do PIIM, e que atrai a curiosidade dos transeuntes.
   
Fernando Montês, municípe e ajudante da obra, afirmou que 
“é um orgulho porque além dos meus filhos amanhã poderá ser para os netos”.
 
No presente ano lectivo estão matriculados 64 mil alunos, da iniciação a 9ª classe em 54 escolas públicas, número que vai aumentar depois da conclusão das obras das 12 outras escolas.