Professores considerados mobilizadores da preservação ambientel

Moçâmedes- O director em exercício do Gabinete Provincial da Educação no Namibe, Luís Camuele, considera que os professores devem ser os principais mobilizadores da preservação do meio ambiente.

Falando na abertura no acto de abertura de uma acção  formativa que decorre sobre a educação ambiental escolar dirigida a jovens voluntários e professores, salientou que o projecto desenvolvido consiste em incorporar, nos estabelecimentos de ensino  e na sociedade, uma pratica   inovadora  na conservação do ambiente, de modo  a melhorar o bem-estar de todos.

O responsável disse que os professores e os agentes ambientalistas devem ser os principais mentores de educar a sociedade sobre a importância da conservação do ambiente,  instruindo-os  a serem membros activos e interventivos  com práticas que concorram para a sustentabilidade  do ambiente .

“ A  escola é  um local de instrução para  a vida sustentável, valorizar os resíduos sólidos  e urbanos, como forma de reduzir,  reutilizar, reciclar, repensar,  recusar e recuperar, para que se possa contar a  participação de jovens voluntários  e professores para dar o seu melhor  em prol da educação ambiental escolar”, disse.

O responsável destacou a importância  da formação para o desenvolvimento da sociedade diante das alterações globais produzidas pelas actividades humanas. “A  crise ambiental agravou-se, produzindo mudanças indesejáveis, tais como alterações climáticas, destruição do habitat natural existente da biodiversidade, poluição e escassez de água", reforçou.

Para a solução dos problemas ambientais actuais, o responsável diz ser importante a elaboração  e implementação  de estratégias especificas e e ficazes, apontando a educação ambiental como uma ferramenta importante  que permite  a consciencialização, desenvolvimento,  promoção de valores  e resolução de problemas  e tomadas de decisões.

O projecto de educação Ambiental nas  Escolas prevê inserir,  até no mês de Junho deste ano, 20 escolas sendo dez do primeiro ciclo e igual número de ensino primário nos municípios da Bibala e do Tômbwa.

Os participantes estão a abordar matérias ligadas a comunicação e martinking ambiental, como preservar o meio ambiente, reeducaçao , reutilizar, repensar, recuperar os resíduos sólidos.

 

 

Falando na abertura no acto de abertura de uma acção  formativa que decorre sobre a educação ambiental escolar dirigida a jovens voluntários e professores, salientou que o projecto desenvolvido consiste em incorporar, nos estabelecimentos de ensino  e na sociedade, uma pratica   inovadora  na conservação do ambiente, de modo  a melhorar o bem-estar de todos.

O responsável disse que os professores e os agentes ambientalistas devem ser os principais mentores de educar a sociedade sobre a importância da conservação do ambiente,  instruindo-os  a serem membros activos e interventivos  com práticas que concorram para a sustentabilidade  do ambiente .

“ A  escola é  um local de instrução para  a vida sustentável, valorizar os resíduos sólidos  e urbanos, como forma de reduzir,  reutilizar, reciclar, repensar,  recusar e recuperar, para que se possa contar a  participação de jovens voluntários  e professores para dar o seu melhor  em prol da educação ambiental escolar”, disse.

O responsável destacou a importância  da formação para o desenvolvimento da sociedade diante das alterações globais produzidas pelas actividades humanas. “A  crise ambiental agravou-se, produzindo mudanças indesejáveis, tais como alterações climáticas, destruição do habitat natural existente da biodiversidade, poluição e escassez de água", reforçou.

Para a solução dos problemas ambientais actuais, o responsável diz ser importante a elaboração  e implementação  de estratégias especificas e e ficazes, apontando a educação ambiental como uma ferramenta importante  que permite  a consciencialização, desenvolvimento,  promoção de valores  e resolução de problemas  e tomadas de decisões.

O projecto de educação Ambiental nas  Escolas prevê inserir,  até no mês de Junho deste ano, 20 escolas sendo dez do primeiro ciclo e igual número de ensino primário nos municípios da Bibala e do Tômbwa.

Os participantes estão a abordar matérias ligadas a comunicação e martinking ambiental, como preservar o meio ambiente, reeducaçao , reutilizar, repensar, recuperar os resíduos sólidos.