Povoação de Omahoku ganha primeira infra-estrutura escolar

  • Inauguração de uma escola na comuna de Ombala Yo Mungu Município de Ombadja
Ondjiva - Os alunos do ensino primário da povoação de Omahuko, município de Ombadja, 105 quilómetros da cidade de Ondjiva, sede capital da província do Cunene, contam desde hoje, quarta-feira, com a primeira infra-estrutura escolar de três salas de aula.

Inaugurada pelo vice-governador para Serviços Técnicos e Infra-estrutura do Cunene, Faustino Cortez , a escola foi construída no âmbito do programa de apoio social do Banco Fomento Angola (BFA) , em apoio às populações afectadas pela seca.

A mesma faz parte de um lote de três escolas, erguidas nas povoações de Omahoko e Aqueque (comuna de Ombala-yo Mungo) e de Buititi (Mucope), num valor global de dois milhões de dólares norte-americanos.

Com capacidade instalada de 240 alunos em dois turnos, a escola comporta ainda gabinete administrativo, dois WC e varanda.

Na ocasião, o vice-governador Faustino Cortez disse que com a construção da referida escola, estão criadas as condições para o ingresso de novas crianças no sistema de ensino.

Agradeceu o apoio prestado pelo BFA, pois vem ajudar o governo a concretizar o programa que visa garantir o direito ao ensino com qualidade, em particular, para as crianças vulneráveis.

Por isso, apelou aos alunos, professores, pais e encarregados de educação no sentido de  fazerem o bom uso da instituição, visando a sua conservação para que possam servir às gerações vindouras.

Por seu turno, a administradora executiva do BFA, Vera Escórcio, manifestou o desejo da instituição continuar a apoiar as comunidades, com a implementação de projectos sociais direccionados ao bem-estar das crianças.

Disse que a implementação de projectos educacionais vai permitir realizar um sonho das crianças que estudavam em péssimas condições, tendo anunciado o financiamento de mais uma unidade escolar na zona fronteiriça com a Namíbia, com início no decorrer deste ano.

Já o administrador municipal de Ombadja, Hilário Shikalepo, lembrou que a escola, criada em 1976, funcionou durante cinco décadas debaixo de árvores e, em 2019, em duas tendas oferecidas pelo Unicef.

Com este apoio, realçou, estão garantidas as condições para retirada de um considerável número de alunos que se encontra fora do sistema de ensino, assim como melhorar a acomodação tanto dos alunos, como dos professores, para que a qualidade de ensino seja uma realidade.

Para o presente ano lectivo, foram matriculados a nível da comuna de Ombala Yo Mungo, sete mil 77 alunos do ensino primário ao II ciclo, enquadrados em 37 escolas, destas apenas 12 de construção definitiva. A região tem 174 professores.

 

Inaugurada pelo vice-governador para Serviços Técnicos e Infra-estrutura do Cunene, Faustino Cortez , a escola foi construída no âmbito do programa de apoio social do Banco Fomento Angola (BFA) , em apoio às populações afectadas pela seca.

A mesma faz parte de um lote de três escolas, erguidas nas povoações de Omahoko e Aqueque (comuna de Ombala-yo Mungo) e de Buititi (Mucope), num valor global de dois milhões de dólares norte-americanos.

Com capacidade instalada de 240 alunos em dois turnos, a escola comporta ainda gabinete administrativo, dois WC e varanda.

Na ocasião, o vice-governador Faustino Cortez disse que com a construção da referida escola, estão criadas as condições para o ingresso de novas crianças no sistema de ensino.

Agradeceu o apoio prestado pelo BFA, pois vem ajudar o governo a concretizar o programa que visa garantir o direito ao ensino com qualidade, em particular, para as crianças vulneráveis.

Por isso, apelou aos alunos, professores, pais e encarregados de educação no sentido de  fazerem o bom uso da instituição, visando a sua conservação para que possam servir às gerações vindouras.

Por seu turno, a administradora executiva do BFA, Vera Escórcio, manifestou o desejo da instituição continuar a apoiar as comunidades, com a implementação de projectos sociais direccionados ao bem-estar das crianças.

Disse que a implementação de projectos educacionais vai permitir realizar um sonho das crianças que estudavam em péssimas condições, tendo anunciado o financiamento de mais uma unidade escolar na zona fronteiriça com a Namíbia, com início no decorrer deste ano.

Já o administrador municipal de Ombadja, Hilário Shikalepo, lembrou que a escola, criada em 1976, funcionou durante cinco décadas debaixo de árvores e, em 2019, em duas tendas oferecidas pelo Unicef.

Com este apoio, realçou, estão garantidas as condições para retirada de um considerável número de alunos que se encontra fora do sistema de ensino, assim como melhorar a acomodação tanto dos alunos, como dos professores, para que a qualidade de ensino seja uma realidade.

Para o presente ano lectivo, foram matriculados a nível da comuna de Ombala Yo Mungo, sete mil 77 alunos do ensino primário ao II ciclo, enquadrados em 37 escolas, destas apenas 12 de construção definitiva. A região tem 174 professores.