Secretário de Estado reafirma compromisso com qualidade de ensino

  • EUGÉNIO SILVA, SECRETÁRIO DE ESTADO DO ENSINO SUPERIOR
Huambo – O secretário de Estado para o Ensino Superior, Eugénio Silva, reafirmou esta quarta-feira, no Huambo, o compromisso do Governo na melhoria da qualidade do ensino universitário, através da implementação de reformas dos planos curriculares.

Segundo o responsável, que dissertava o tema “O Ensino Superior em Angola: desafios, perspectivas e o seu enquadramento no Mundo”, durante a primeira edição da Universidade do Verão Summit, o Ministério quer adequar os currículos académicos, com objectivo de ter cursos mais úteis, pertinentes e relevantes.

Disse tratar-se de um compromisso assente na formação de quadros com perfil necessário para contribuir no desenvolvimento económico-social do país.

Nesta conformidade, Eugénio Silva informou que todos os cursos ministrados pelas instituições de ensino superior terão cerca de 70 por cento do conteúdo comum e os outros 30 estabelecidos pelas próprias escolas.

Com isto, acrescentou, pretende-se reestruturar os planos curriculares, com foco na garantia do desenvolvimento de competências, tendo em conta “o saber fazer, estar e resolver”, com uma dimensão mais prática, através da realização de estágios curriculares nas comunidades.

Neste momento, conforme o secretário de Estado, está a decorrer o processo de ajustamento dos cursos de medicina e de enfermagem por orientação do Presidente da República, João Lourenço.

Disse que o Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, com um total de 11 mil docentes, 10 mil dos quais são angolanos, onde apenas 11 por cento são professores doutores, está fortemente engajado na capacitação de quadros qualificados e com perfil adequado às exigências actuais.

Neste sentido, o responsável anunciou a abertura, em breve, de mais cursos de mestrados e doutoramento, além de apostar na investigação científica, inovação e na extensão universitária, através do reforço do investimento no sector e da disponibilidade de recursos materiais à altura das necessidades.

Por seu turno, o vice-governador para o sector Político, Social e Económico da província do Huambo, Francisco Jamba Kata, destacou a iniciativa da criação da plataforma Universidade de Verão Summit, por permitir a discussão de ideias que vão contribuir para o crescimento académico da juventude.

Sob o lema: “O engajamento da juventude no desenvolvimento do país”, os participantes ao evento, que decorre até sexta-feira, estão a abordar diversos temas de âmbito social, económico, agrícola, empreendedorismo e desporto.

Além dos debates, o certamente será, igualmente, marcado com a realização de sessões formativas e workshops comunitários.

Criado em 2017 pela associação de cidadania e filantropia “Mais e Comum”, a Universidade de Verão Summit serve para engajar os jovens universitários no desenvolvimento de acções concretas, objectivas e sustentáveis para as suas comunidades.

Segundo o responsável, que dissertava o tema “O Ensino Superior em Angola: desafios, perspectivas e o seu enquadramento no Mundo”, durante a primeira edição da Universidade do Verão Summit, o Ministério quer adequar os currículos académicos, com objectivo de ter cursos mais úteis, pertinentes e relevantes.

Disse tratar-se de um compromisso assente na formação de quadros com perfil necessário para contribuir no desenvolvimento económico-social do país.

Nesta conformidade, Eugénio Silva informou que todos os cursos ministrados pelas instituições de ensino superior terão cerca de 70 por cento do conteúdo comum e os outros 30 estabelecidos pelas próprias escolas.

Com isto, acrescentou, pretende-se reestruturar os planos curriculares, com foco na garantia do desenvolvimento de competências, tendo em conta “o saber fazer, estar e resolver”, com uma dimensão mais prática, através da realização de estágios curriculares nas comunidades.

Neste momento, conforme o secretário de Estado, está a decorrer o processo de ajustamento dos cursos de medicina e de enfermagem por orientação do Presidente da República, João Lourenço.

Disse que o Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, com um total de 11 mil docentes, 10 mil dos quais são angolanos, onde apenas 11 por cento são professores doutores, está fortemente engajado na capacitação de quadros qualificados e com perfil adequado às exigências actuais.

Neste sentido, o responsável anunciou a abertura, em breve, de mais cursos de mestrados e doutoramento, além de apostar na investigação científica, inovação e na extensão universitária, através do reforço do investimento no sector e da disponibilidade de recursos materiais à altura das necessidades.

Por seu turno, o vice-governador para o sector Político, Social e Económico da província do Huambo, Francisco Jamba Kata, destacou a iniciativa da criação da plataforma Universidade de Verão Summit, por permitir a discussão de ideias que vão contribuir para o crescimento académico da juventude.

Sob o lema: “O engajamento da juventude no desenvolvimento do país”, os participantes ao evento, que decorre até sexta-feira, estão a abordar diversos temas de âmbito social, económico, agrícola, empreendedorismo e desporto.

Além dos debates, o certamente será, igualmente, marcado com a realização de sessões formativas e workshops comunitários.

Criado em 2017 pela associação de cidadania e filantropia “Mais e Comum”, a Universidade de Verão Summit serve para engajar os jovens universitários no desenvolvimento de acções concretas, objectivas e sustentáveis para as suas comunidades.