Ministra exige rigor às instituições do ensino superior

  • Ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Maria do Rosário Teixeira de Alva Sequeira Bragança Sambo
Soyo- A ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Maria do Rosário Sambo, considerou, esta quinta-feira, fundamental que as instituições do ensino superior (públicas e privadas) do país traduzam em actos o desiderato da melhoria da qualidade do ensino.

Em declarações à imprensa, no final da sua visita de trabalho de algumas horas na cidade do Soyo, província do Zaire, a ministra defendeu acções conjuntas entre o seu sector e os agentes do ramo, para o alcance desta meta.

" Com união, espírito de missão, responsabilidade e foco podemos obter resultados que coloquem as instituições do ensino superior de Angola na lista de referência a nível da região e do mundo", referiu.

De acordo com a governante, as universidades publicas e privadas devem primar pela organização, criando normas de qualidade, promoção constante de processos de auto-avaliação, como forma de monitorar a qualidade do ensino prestado e identificar eventuais lacunas.

Reconheceu algumas dificuldades, na melhoria das condições de ensino e aprendizagem e nas acções de investigação científica, sublinhando que o Executivo está atento e trabalha para inverter esse quadro.

Lembrou, ainda, que o país já conta com uma Fundação para o desenvolvimento científico e tecnológico, que tem por obrigação apoiar o desenvolvimento da investigação cientifica.

A Fundação tem a responsabilidade de apoiar e criar oportunidades para todas as instituições, através  de mecanismos competitivos reconhecidos internacionalmente.

A Ministra do Ensino Superior trabalhou, quarta-feira, na cidade do Soyo, onde inaugurou o primeiro instituto superior privado local.
 

Em declarações à imprensa, no final da sua visita de trabalho de algumas horas na cidade do Soyo, província do Zaire, a ministra defendeu acções conjuntas entre o seu sector e os agentes do ramo, para o alcance desta meta.

" Com união, espírito de missão, responsabilidade e foco podemos obter resultados que coloquem as instituições do ensino superior de Angola na lista de referência a nível da região e do mundo", referiu.

De acordo com a governante, as universidades publicas e privadas devem primar pela organização, criando normas de qualidade, promoção constante de processos de auto-avaliação, como forma de monitorar a qualidade do ensino prestado e identificar eventuais lacunas.

Reconheceu algumas dificuldades, na melhoria das condições de ensino e aprendizagem e nas acções de investigação científica, sublinhando que o Executivo está atento e trabalha para inverter esse quadro.

Lembrou, ainda, que o país já conta com uma Fundação para o desenvolvimento científico e tecnológico, que tem por obrigação apoiar o desenvolvimento da investigação cientifica.

A Fundação tem a responsabilidade de apoiar e criar oportunidades para todas as instituições, através  de mecanismos competitivos reconhecidos internacionalmente.

A Ministra do Ensino Superior trabalhou, quarta-feira, na cidade do Soyo, onde inaugurou o primeiro instituto superior privado local.