AAT quer apoio regular para produção teatral

  • Presidente da AAT, Adelino Caracol (Arquivo)
Luanda - O presidente da Associação Angolana de Teatro (AAT), Adelino Caracol, destacou, neste sábado, a necessidade de apoio regular do Estado para a produção, incentivo e fomento das artes cénicas no país.

Adelino Carocol, que falava à ANGOP à margem da  2ª mesa redonda sobre o teatro, no âmbito do Dia Mundial do Teatro, ressaltou que este apoio passa por subvenção de publicidade, construção de infra-estruturas próprias, anexar o teatro para a educação social e financeiro nas políticas do Estado.

Conforme Adelino Caracol, os agentes do sector devem unir-se para se encontrar caminhos certos e se perceber o que motiva uns e outros e traçar estratégias comuns para o desenvolvimento da arte.

Para a fonte, o conflito entre a velha e a nova geração pode ser discutido para se identificar os erros do passado, indicar caminhos para que as mesmas falhas do passado não se repitam.

Em relação a mesa redonda, os participantes manifestaram a necessidade de se documentar todas as acções do teatro e desenhar políticas sobre o que se pretende, passagem de testemunho, reconhecimento dos pioneiros para os mais novos para se evitar conflitos geracionais.

Por lado advogaram a necessidade da criação de um conselho dos "Makotas" do teatro, para levaram e discutir os problemas da classe junto do Governo.

Adelino Carocol, que falava à ANGOP à margem da  2ª mesa redonda sobre o teatro, no âmbito do Dia Mundial do Teatro, ressaltou que este apoio passa por subvenção de publicidade, construção de infra-estruturas próprias, anexar o teatro para a educação social e financeiro nas políticas do Estado.

Conforme Adelino Caracol, os agentes do sector devem unir-se para se encontrar caminhos certos e se perceber o que motiva uns e outros e traçar estratégias comuns para o desenvolvimento da arte.

Para a fonte, o conflito entre a velha e a nova geração pode ser discutido para se identificar os erros do passado, indicar caminhos para que as mesmas falhas do passado não se repitam.

Em relação a mesa redonda, os participantes manifestaram a necessidade de se documentar todas as acções do teatro e desenhar políticas sobre o que se pretende, passagem de testemunho, reconhecimento dos pioneiros para os mais novos para se evitar conflitos geracionais.

Por lado advogaram a necessidade da criação de um conselho dos "Makotas" do teatro, para levaram e discutir os problemas da classe junto do Governo.