Aberta 2ª edição do Festival de Artes e Cultura

Luanda - A segunda edição do Festival de Artes e Cultura Tchole foi aberta, esta terça-feira, em Luanda, para proporcionar, a classe artística e ao público, espectáculos de qualidade e divulgação de mensagens de carácter cívico.

Com duração de sete dias, o festival Tchole, que na língua Tchokwe significa avançar, engloba espectáculos e oficinas de teatro, dança, música folclórica e canto lírico, palestras, exposições de artes plásticas e sessão de homenagens a personalidades da cultura angolana.

Na abertura, o director nacional da juventude, Kikas Machado, enalteceu o reaparecimento dos artistas, após paralização forçada pela pandemia da Covid-19, para entreter o público.

Destacou o empreendedorismo cultural, que o seu pelouro leva a cabo desde 2016, como forma de incentivar os jovens a investirem nesta área para o crescimento do país.

Participam da segunda edição artistas das províncias de Luanda, Malanje e Benguela que vão entreter o público com teatro, canto lírico, poesia, artes plásticas e música.

Durante a cerimónia de abertura, houve homenagem aos artistas falecidos por Covid-19, bem como fez-se a entrega de certificados de mérito a pessoas ligadas a várias áreas, com destaque para o artista plástico Tomás Ana "Etona", o teatrista António de Oliveira, a ex-jogadora Palmira Barbosa e a José Mendonça, pelo projecto Tuxike o dikanza.

O evento decorre até 31 de Outubro, em saudação aos 12 anos de existência da Companhia de Artes Njila, promotora do festival.

A primeira edição do Festival de Artes e Cultura aconteceu de 1 a 6 de Outubro de 2019.

Com duração de sete dias, o festival Tchole, que na língua Tchokwe significa avançar, engloba espectáculos e oficinas de teatro, dança, música folclórica e canto lírico, palestras, exposições de artes plásticas e sessão de homenagens a personalidades da cultura angolana.

Na abertura, o director nacional da juventude, Kikas Machado, enalteceu o reaparecimento dos artistas, após paralização forçada pela pandemia da Covid-19, para entreter o público.

Destacou o empreendedorismo cultural, que o seu pelouro leva a cabo desde 2016, como forma de incentivar os jovens a investirem nesta área para o crescimento do país.

Participam da segunda edição artistas das províncias de Luanda, Malanje e Benguela que vão entreter o público com teatro, canto lírico, poesia, artes plásticas e música.

Durante a cerimónia de abertura, houve homenagem aos artistas falecidos por Covid-19, bem como fez-se a entrega de certificados de mérito a pessoas ligadas a várias áreas, com destaque para o artista plástico Tomás Ana "Etona", o teatrista António de Oliveira, a ex-jogadora Palmira Barbosa e a José Mendonça, pelo projecto Tuxike o dikanza.

O evento decorre até 31 de Outubro, em saudação aos 12 anos de existência da Companhia de Artes Njila, promotora do festival.

A primeira edição do Festival de Artes e Cultura aconteceu de 1 a 6 de Outubro de 2019.