Actor angolano convidado para a Oxford África Conference 2021

  • Huíla: actor Sílvio Nascimento
Lubango – O actor e produtor de cinema angolano Sílvio Nascimento foi convidado, pela Universidade de Oxford, da Inglaterra, para representar o país na Conferência de África, a realizar-se a 26 do corrente mês.

Sílvio Nascimento vai falar sobre sobre cinema e metas para o seu desenvolvimento no continente africano.

A Oxford África Conference é o maior evento desta indústria com foco africano, realizada na Europa, nos últimos anos, e acontece no quadro do Dia do continente (25 de Maio).

Este ano, de acordo com a página do evento na Internet, serão apresentadas palestras sobre África, principalmente em relação a Angola, Líbia, África do Sul, Senegal e Etiópia, por meio da sua plataforma online e presencialmente, durante oito sessões de áreas distintas.

Em entrevista hoje, sábado, à ANGOP, a partir de Lisboa onde reside, o actor diz-se “honrado”, por tratar-se de um evento importante onde estarão concentradas várias áreas do saber e da vida que podem ajudar a desenvolver a África.

De entre os pontos em discussão no painel cultural, de que fará parte, o actor “Wollo”, como também é conhecido, apontou assuntos ligados a realização de filmes para atrair investimentos, a produção de cinematográfica em África e os cenários reais atractivos que o continente dispõe para esse fim.

Para ele, com esse convite, o cinema angolano ganha exposição internacional, pois nota-se agora uma atenção especial.

Sílvio Nascimento admitiu que é possível exportar o cinema angolano, mas antes é necessário que as autoridades prestem maior atenção e mai investimento.

 “Já tinha sido assim na Alemanha e isso mostra que há um interesse internacional para com o cinema angolano, porque os olhos estão postos em nós e  temos que ter um produto bom para exportar”, concluiu a fonte.

Para além de Sílvio Nascimento “Whollo”, estão igualmente convidados a bióloga Adjany Costa, para o Painel Ambiental e o governador do Banco Nacional de Angola, José de Lima Massano,  para a sessão Desenvolvimento Africano.

Sílvio Nascimento “Whollo”, de 33 anos de idade, natural do Lubango (Huíla), é actor há mais de 25 anos, entrou no mundo do teatro aos sete. Reside em Portugal há seis anos.

Tem uma vasta lista de participações em filmes, séries e telenovelas. Foi nomeado três vezes aos Emmys em Nova Iorque pelas suas participações e venceu o primeiro Globo de Ouro de Angola, na categoria de melhor actor.

O actor apresentou, por Angola, em Março último, através da plataforma “Tellas”, a primeira streaming da África lusófona, no 71º Festival de Cinema de Berlim, na Alemanha, também conhecido por “Berlinale”.

Sílvio Nascimento vai falar sobre sobre cinema e metas para o seu desenvolvimento no continente africano.

A Oxford África Conference é o maior evento desta indústria com foco africano, realizada na Europa, nos últimos anos, e acontece no quadro do Dia do continente (25 de Maio).

Este ano, de acordo com a página do evento na Internet, serão apresentadas palestras sobre África, principalmente em relação a Angola, Líbia, África do Sul, Senegal e Etiópia, por meio da sua plataforma online e presencialmente, durante oito sessões de áreas distintas.

Em entrevista hoje, sábado, à ANGOP, a partir de Lisboa onde reside, o actor diz-se “honrado”, por tratar-se de um evento importante onde estarão concentradas várias áreas do saber e da vida que podem ajudar a desenvolver a África.

De entre os pontos em discussão no painel cultural, de que fará parte, o actor “Wollo”, como também é conhecido, apontou assuntos ligados a realização de filmes para atrair investimentos, a produção de cinematográfica em África e os cenários reais atractivos que o continente dispõe para esse fim.

Para ele, com esse convite, o cinema angolano ganha exposição internacional, pois nota-se agora uma atenção especial.

Sílvio Nascimento admitiu que é possível exportar o cinema angolano, mas antes é necessário que as autoridades prestem maior atenção e mai investimento.

 “Já tinha sido assim na Alemanha e isso mostra que há um interesse internacional para com o cinema angolano, porque os olhos estão postos em nós e  temos que ter um produto bom para exportar”, concluiu a fonte.

Para além de Sílvio Nascimento “Whollo”, estão igualmente convidados a bióloga Adjany Costa, para o Painel Ambiental e o governador do Banco Nacional de Angola, José de Lima Massano,  para a sessão Desenvolvimento Africano.

Sílvio Nascimento “Whollo”, de 33 anos de idade, natural do Lubango (Huíla), é actor há mais de 25 anos, entrou no mundo do teatro aos sete. Reside em Portugal há seis anos.

Tem uma vasta lista de participações em filmes, séries e telenovelas. Foi nomeado três vezes aos Emmys em Nova Iorque pelas suas participações e venceu o primeiro Globo de Ouro de Angola, na categoria de melhor actor.

O actor apresentou, por Angola, em Março último, através da plataforma “Tellas”, a primeira streaming da África lusófona, no 71º Festival de Cinema de Berlim, na Alemanha, também conhecido por “Berlinale”.