Administradora quer artistas mais envolvidos no resgate de valores

  • Vista Parcial da Centralidade da Caála
Caála – A administradora em exercício do município da Caála (Huambo), Umbelina Maria, pediu quarta-feira, a classe artística para dinamizar e incentivar o processo de resgate dos valores morais, éticos, culturais e patrióticos.

Nesta municipalidade são controlados 123 fazedores de culturas, sendo 86 músicos, 15 dançarinos profissionais, cinco fotográficos, três artesões, sete grupos teatrais, nove promotores de eventos e 34 terapeutas tradicionais.

Segundo a responsável, que falava na abertura das jornadas comemorativas ao Dia Nacional da Cultura (8 de Janeiro), é importante que os artistas estejam mais envolvidos em acções que visam salvaguardar a identidade cultural, através da divulgação de mensagens baseadas na recuperação dos valores.

“Precisamos do envolvimento dos músicos, actores e promotores culturais no sistema de educação da sociedade, passando mensagem de desencorajamento ao consumo excessivo de bebidas alcoólicas, delinquência juvenil, violência doméstica e outras práticas que retardam o desenvolvimento económico-social das comunidades”, rematou.

Perante uma plateia composta por músicos, actores, promotores culturais, autoridades tradicionais, entidades religiosas e membros de partidos políticos com assento no Parlamento, Umbelina Maria encorajou-os, igualmente, a empregarem as suas capacidades em coisas úteis à sociedade, além de apostar no empreendedorismo cultural, para contribuir na redução do desemprego.

Em alusão a efeméride, as autoridades da Caála têm programado a realização de uma feira de cultura e artes, visitas aos monumentos históricos e palestras com temas diversos.

Nesta municipalidade são controlados 123 fazedores de culturas, sendo 86 músicos, 15 dançarinos profissionais, cinco fotográficos, três artesões, sete grupos teatrais, nove promotores de eventos e 34 terapeutas tradicionais.

Segundo a responsável, que falava na abertura das jornadas comemorativas ao Dia Nacional da Cultura (8 de Janeiro), é importante que os artistas estejam mais envolvidos em acções que visam salvaguardar a identidade cultural, através da divulgação de mensagens baseadas na recuperação dos valores.

“Precisamos do envolvimento dos músicos, actores e promotores culturais no sistema de educação da sociedade, passando mensagem de desencorajamento ao consumo excessivo de bebidas alcoólicas, delinquência juvenil, violência doméstica e outras práticas que retardam o desenvolvimento económico-social das comunidades”, rematou.

Perante uma plateia composta por músicos, actores, promotores culturais, autoridades tradicionais, entidades religiosas e membros de partidos políticos com assento no Parlamento, Umbelina Maria encorajou-os, igualmente, a empregarem as suas capacidades em coisas úteis à sociedade, além de apostar no empreendedorismo cultural, para contribuir na redução do desemprego.

Em alusão a efeméride, as autoridades da Caála têm programado a realização de uma feira de cultura e artes, visitas aos monumentos históricos e palestras com temas diversos.