ANGOP mantém hegemonia na Gala de Premiação “Huambo Cidade Vida”

  • Jornalista da Angop,  Madalena Leopoldina Ventura, Vence a Gala de Premiação "Huambo Cidade Vida"
Huambo – A Delegação da Agência Angola Press (ANGOP) na província do Huambo manteve a hegemonia na Gala de Premiação “Huambo Cidade Vida”, ao vencer as quatro edições até aqui realizadas na categoria de imprensa.

Desta vez, a vencedora nesta categoria foi a jornalista da ANGOP Madalena Leopoldina Ventura, que obteve 54 por cento do total dos votos pulares.

Com este feito, Leopoldina Madalena Ventura torna-se no terceiro profissional da Delegação local a lograr tal feito, mantendo, deste modo, a hegemonia deste órgão de Comunicação Social na gala, desde a sua institucionalização, em 2016, em concorrência com as Edições Novembro.

Nas três primeiras edições, foram vencedores os jornalistas Aurélio Janeiro Sacalei Soi (2016 e 2019) e Valentino Culivela Yequenha (2017).

A gala, de iniciática privada, inserida nas comemorações dos 109 anos da cidade do Huambo, assinalados no passado dia 21, serviu para reconhecer os feitos de diversas individualidades que se destacam nos seus sectores, em prol do desenvolvimento da província, através do voto popular.

Na categoria de jornalismo, foram ainda distinguidos os profissionais Otenásio Ramires Matias, da Rádio Mais, como vencedor na sub-categoria de jornalismo de rádio em língua portuguesa, e José Caleme, da emissora Católica (Rádio Ecclésia), em língua Umbundo, respectivamente.

Sobre o olhar atento da governadora da província do Huambo, Lotti Nolika, o evento distinguiu, também, outras personalidades ligados aos sectores da Cultura, Saúde e Educação, com alguma notoriedade, com realce para Os picantes, melhor música do ano, Tony Mestre, melhor kudurista e o poeta Ventos Sem Norte.

Nos sectores da Saúde e Educação, o médico Eduardo Catoquessa e o professor Inocêncio Luacuti, foram considerados como melhores do ano.

O destaque da noite recaiu para a homenagem prestada, a título póstumo, ao Jornalista Abias Calueala, da emissora provincial do Grupo Radiodifusão Nacional de Angola, falecido no mês passado, e ao treinador de futebol David Dias, que morreu em Julho último, para além de reconhecer outras individualidades, ainda em vida, que se têm destacado no sector empresarial.

O evento, realizado numa das unidades hoteleiras desta cidade, contou com a animação de diversos músicos da praça local e internacional, com destaque para o cubano Sérgio Fernandes.

Considerada, no passado, por cidade vida de Angola, a sede da província do Huambo foi fundada a 08 de Agosto de 1912, pelo então governador-geral de Angola, general e político português José Mendes Ribeiro Norton de Matos.

O nome da urbe se deve ao exímio caçador Wambo Kalunga, oriundo da região de Seles, província do Cuanza Sul, que foi instalar-se, no século XV, no território da Caála, nesta província, nas zonas do Ussombo, Makolo e Kondombe.

O município do Huambo, um dos 11 da província com o mesmo nome, tem uma população estimada em 872 mil e 901 habitantes, distribuídos em três comunas (Sede, Calima e Chipipa).

 

Desta vez, a vencedora nesta categoria foi a jornalista da ANGOP Madalena Leopoldina Ventura, que obteve 54 por cento do total dos votos pulares.

Com este feito, Leopoldina Madalena Ventura torna-se no terceiro profissional da Delegação local a lograr tal feito, mantendo, deste modo, a hegemonia deste órgão de Comunicação Social na gala, desde a sua institucionalização, em 2016, em concorrência com as Edições Novembro.

Nas três primeiras edições, foram vencedores os jornalistas Aurélio Janeiro Sacalei Soi (2016 e 2019) e Valentino Culivela Yequenha (2017).

A gala, de iniciática privada, inserida nas comemorações dos 109 anos da cidade do Huambo, assinalados no passado dia 21, serviu para reconhecer os feitos de diversas individualidades que se destacam nos seus sectores, em prol do desenvolvimento da província, através do voto popular.

Na categoria de jornalismo, foram ainda distinguidos os profissionais Otenásio Ramires Matias, da Rádio Mais, como vencedor na sub-categoria de jornalismo de rádio em língua portuguesa, e José Caleme, da emissora Católica (Rádio Ecclésia), em língua Umbundo, respectivamente.

Sobre o olhar atento da governadora da província do Huambo, Lotti Nolika, o evento distinguiu, também, outras personalidades ligados aos sectores da Cultura, Saúde e Educação, com alguma notoriedade, com realce para Os picantes, melhor música do ano, Tony Mestre, melhor kudurista e o poeta Ventos Sem Norte.

Nos sectores da Saúde e Educação, o médico Eduardo Catoquessa e o professor Inocêncio Luacuti, foram considerados como melhores do ano.

O destaque da noite recaiu para a homenagem prestada, a título póstumo, ao Jornalista Abias Calueala, da emissora provincial do Grupo Radiodifusão Nacional de Angola, falecido no mês passado, e ao treinador de futebol David Dias, que morreu em Julho último, para além de reconhecer outras individualidades, ainda em vida, que se têm destacado no sector empresarial.

O evento, realizado numa das unidades hoteleiras desta cidade, contou com a animação de diversos músicos da praça local e internacional, com destaque para o cubano Sérgio Fernandes.

Considerada, no passado, por cidade vida de Angola, a sede da província do Huambo foi fundada a 08 de Agosto de 1912, pelo então governador-geral de Angola, general e político português José Mendes Ribeiro Norton de Matos.

O nome da urbe se deve ao exímio caçador Wambo Kalunga, oriundo da região de Seles, província do Cuanza Sul, que foi instalar-se, no século XV, no território da Caála, nesta província, nas zonas do Ussombo, Makolo e Kondombe.

O município do Huambo, um dos 11 da província com o mesmo nome, tem uma população estimada em 872 mil e 901 habitantes, distribuídos em três comunas (Sede, Calima e Chipipa).