Cinemas com 15 por cento de ocupação dia

  • Huila: Xyami Cinemax Lubango
Luanda - As salas do Cinemax espalhadas pelo país registam, depois da reabertura, em Setembro, uma taxa de ocupação diária de apenas 15 por cento.

Os cinco mil e 200 lugares das 36 salas de cinema, que até Fevereiro deste ano, tinham uma taxa de ocupação de 25 por cento, reduziu, nesta fase de Covid-19, para 15 por cento.

Os dados foram avançados à ANGOP pelo director executivo do Cinemax, Michel Ferreira.

Abordado para falar sobre o dia-a-da das salas de cinema, justificou que, para além do confinamento social, a falta de conhecimento sobre a reabertura das salas, em Setembro, em Luanda, e em Agosto nas demais províncias, ser outra causa da baixa na procura destes serviços.

Face às medidas de biosseguranca impostas em função da prevenção e combate à Covid-19, informa terem adequado os espaços para garantir que os clientes cumpram as regras estabelecidas pelo Executivo.

“Tivemos uma preocupação muito grande na reabertura dos cinemas e garantimos as medidas que deixassem os clientes e os colaboradores mais confortáveis", reforçou.

Michel Ferreira adianta que colaboradores e clientes estão protegidos com acrílicos, logo na entrada, evitando, desta forma o contacto directo.

Para além do uso obrigatório de máscara, reduziu-se o número de sessões por dia, duas ou três sessões por dia, antes eram cinco, para garantir que o tempo de limpeza das salas seja feito sem pressa e com a maior segurança.

Em relação ao distanciamento físico, adiantou terem criado em cada cinema circuitos distintos, ou seja, as pessoas que entram nas salas não se cruzam com as que saem.

Conforme a fonte, quando o cliente entra no espaço encontra informações e marcações para garantir dois metros de distância e no ponto de venda há também um espaçamento marcado de dois metros.

Nesta fase, informou, estão a garantir uma hora de espaçamento entre cada sessão para a limpeza das salas.

Adiantou terem reduzido as sessões diárias em menos de 50%, uma acção que é feita em filas intercaladas e com todos os cuidados, desde distanciamento, aumento das limpezas encerramento antes das 21 horas.

Informou que as providências com o Cinemax Luanda, Benguela, Huíla e Huambo compensa, apesar de obrigar a ajustamento entre e custos, e sem possibilidades de investimentos volumosos.

Para além destas medidas, em todas salas do Cinemax foram criados vários postos de desinfecção e, os clientes obrigados a usarem gel nas mãos, fazendo destes espaços mais seguros.

Apesar desta situação menos boa, disse acreditar que a medida que forem encontradas as soluções para a Covid-19, a actividade do cinema voltará à normalidade.

Em Angola, o Cinemax tem seis cinemas e a trabalhar dentro das restrições impostas face à Covid-19.

Os cinco mil e 200 lugares das 36 salas de cinema, que até Fevereiro deste ano, tinham uma taxa de ocupação de 25 por cento, reduziu, nesta fase de Covid-19, para 15 por cento.

Os dados foram avançados à ANGOP pelo director executivo do Cinemax, Michel Ferreira.

Abordado para falar sobre o dia-a-da das salas de cinema, justificou que, para além do confinamento social, a falta de conhecimento sobre a reabertura das salas, em Setembro, em Luanda, e em Agosto nas demais províncias, ser outra causa da baixa na procura destes serviços.

Face às medidas de biosseguranca impostas em função da prevenção e combate à Covid-19, informa terem adequado os espaços para garantir que os clientes cumpram as regras estabelecidas pelo Executivo.

“Tivemos uma preocupação muito grande na reabertura dos cinemas e garantimos as medidas que deixassem os clientes e os colaboradores mais confortáveis", reforçou.

Michel Ferreira adianta que colaboradores e clientes estão protegidos com acrílicos, logo na entrada, evitando, desta forma o contacto directo.

Para além do uso obrigatório de máscara, reduziu-se o número de sessões por dia, duas ou três sessões por dia, antes eram cinco, para garantir que o tempo de limpeza das salas seja feito sem pressa e com a maior segurança.

Em relação ao distanciamento físico, adiantou terem criado em cada cinema circuitos distintos, ou seja, as pessoas que entram nas salas não se cruzam com as que saem.

Conforme a fonte, quando o cliente entra no espaço encontra informações e marcações para garantir dois metros de distância e no ponto de venda há também um espaçamento marcado de dois metros.

Nesta fase, informou, estão a garantir uma hora de espaçamento entre cada sessão para a limpeza das salas.

Adiantou terem reduzido as sessões diárias em menos de 50%, uma acção que é feita em filas intercaladas e com todos os cuidados, desde distanciamento, aumento das limpezas encerramento antes das 21 horas.

Informou que as providências com o Cinemax Luanda, Benguela, Huíla e Huambo compensa, apesar de obrigar a ajustamento entre e custos, e sem possibilidades de investimentos volumosos.

Para além destas medidas, em todas salas do Cinemax foram criados vários postos de desinfecção e, os clientes obrigados a usarem gel nas mãos, fazendo destes espaços mais seguros.

Apesar desta situação menos boa, disse acreditar que a medida que forem encontradas as soluções para a Covid-19, a actividade do cinema voltará à normalidade.

Em Angola, o Cinemax tem seis cinemas e a trabalhar dentro das restrições impostas face à Covid-19.