Responsável quer inclusão de sector turístico em diversificação da economia

Dondo - O director municipal do Turismo e Cultura em Cambambe (Cuanza Norte), João António dos Santos, defendeu a inclusão do sector em projectos para a diversificação da economia.

Numa referência às potencialidades turísticas do país, em particular do município, considerou que Angola tem um vasto mosaico histórico e cultural, capaz de contribuir para as receitas do Estado.

Em declarações sábado à Angop, ainda propósito do dia da Cultura Nacional (8 de Janeiro), João dos Santos considerou ser necessário promover, através de investimentos, requalificação e privatização, o turismo cultural.

Indicou, por exemplo, que a vila histórica de Massangano e a localidade de Novo Oeiras, bem exploradas podem gerar receitas para o Estado, uma vez que têm sido locais de atracção turística para cidadãos nacionais e estrangeiros.

Massangano é uma pequena vila com cerca de 400 habitantes, construída no século XVI, as margens entre os rios Kwanza e Lucala, que se tornou na capital provisória de Angola, após a ocupação de Luanda pelos holandeses.

Em Massangano encontra-se, entre outros locais históricos, a praça dos escravos, a fortaleza dos portugueses, perseguidos pelo corredor do Kwanza, o túmulo do capitão português, Paulo Dias de Novais, o tribunal e câmara de reclusão, bem como o santuário da Nossa Senhora das Vitórias, um dos maiores recintos de devoção de fiéis católicos, que recebe em média cinco mil peregrinos por ano.

Na localidade de Novo Oeiras situam-se as ruínas da primeira fundição de ferro da África Austral, que tem suscitado a atenção de muitos turistas.

Na comuna do São Pedro da Quilemba, município de Cambambe também estão localizadas a ponte Filomena e as quedas do Mbuezo, considerados locais turísticos.

 

 

Numa referência às potencialidades turísticas do país, em particular do município, considerou que Angola tem um vasto mosaico histórico e cultural, capaz de contribuir para as receitas do Estado.

Em declarações sábado à Angop, ainda propósito do dia da Cultura Nacional (8 de Janeiro), João dos Santos considerou ser necessário promover, através de investimentos, requalificação e privatização, o turismo cultural.

Indicou, por exemplo, que a vila histórica de Massangano e a localidade de Novo Oeiras, bem exploradas podem gerar receitas para o Estado, uma vez que têm sido locais de atracção turística para cidadãos nacionais e estrangeiros.

Massangano é uma pequena vila com cerca de 400 habitantes, construída no século XVI, as margens entre os rios Kwanza e Lucala, que se tornou na capital provisória de Angola, após a ocupação de Luanda pelos holandeses.

Em Massangano encontra-se, entre outros locais históricos, a praça dos escravos, a fortaleza dos portugueses, perseguidos pelo corredor do Kwanza, o túmulo do capitão português, Paulo Dias de Novais, o tribunal e câmara de reclusão, bem como o santuário da Nossa Senhora das Vitórias, um dos maiores recintos de devoção de fiéis católicos, que recebe em média cinco mil peregrinos por ano.

Na localidade de Novo Oeiras situam-se as ruínas da primeira fundição de ferro da África Austral, que tem suscitado a atenção de muitos turistas.

Na comuna do São Pedro da Quilemba, município de Cambambe também estão localizadas a ponte Filomena e as quedas do Mbuezo, considerados locais turísticos.