Novo presidente da BJLA quer união da classe

  • João Mwanza,  Presidente da Brigada Jovem de Literatura de Angola
Ndalatando – O novo presidente da Brigada Jovem de Literatura de Angola (BJLA ), João Mwanza, eleito sábado, em Luanda, apontou a união da classe e o reforço da cultura literária na comunidade estudantil como as prioridades do seu mandato.

Constam também das prioridades de João Mwanza, eleito para um mandato de dois anos, a promoção de tendas de leitura e oficinas literárias em todo o pais, a criação de um acervo sobre a literatura nacional, por via de plataformas digitais, a descoberta de novos talentos e o apoio aos escritores na publicação de obras.

Em declarações terça-feira à ANGOP, por telefone, o responsável da BJLA, indicou que vai trabalhar também para a criação da sede nacional, o reforço da formação dos membros e aumento da interacção com os profissionais de outras áreas das artes.

Na votação para presidente da BJLA, o escritor obteve 124 votos, contra três do seu opositor, Gelson Neto.

Entretanto, no Cuanza Norte, terra natal de João Mwanza, o director provincial da Cultura, Osvaldo Caculo, manifestou a disponibilidade das autoridades locais na implementação da estratégia de trabalho do novo presidente da BJLA, com realce para a criação de uma sede local da organização.

De 33 anos de idade, João Mwanza é docente de carreira, doutorando em Ciências de Educação e membro da BJLA desde 2003.

Tem três obras literárias no mercado, maioritariamente, no estilo poético.

 A Brigada Jovem de Literatura de Angola, que existe desde 1981, teve como primeiro presidente da sua Comissão Executiva o escritor Conceição Cristóvão, seguindo-se David Mendes e Nicolau Sebastião da Conceição “Kudjimbe”.

Constam também das prioridades de João Mwanza, eleito para um mandato de dois anos, a promoção de tendas de leitura e oficinas literárias em todo o pais, a criação de um acervo sobre a literatura nacional, por via de plataformas digitais, a descoberta de novos talentos e o apoio aos escritores na publicação de obras.

Em declarações terça-feira à ANGOP, por telefone, o responsável da BJLA, indicou que vai trabalhar também para a criação da sede nacional, o reforço da formação dos membros e aumento da interacção com os profissionais de outras áreas das artes.

Na votação para presidente da BJLA, o escritor obteve 124 votos, contra três do seu opositor, Gelson Neto.

Entretanto, no Cuanza Norte, terra natal de João Mwanza, o director provincial da Cultura, Osvaldo Caculo, manifestou a disponibilidade das autoridades locais na implementação da estratégia de trabalho do novo presidente da BJLA, com realce para a criação de uma sede local da organização.

De 33 anos de idade, João Mwanza é docente de carreira, doutorando em Ciências de Educação e membro da BJLA desde 2003.

Tem três obras literárias no mercado, maioritariamente, no estilo poético.

 A Brigada Jovem de Literatura de Angola, que existe desde 1981, teve como primeiro presidente da sua Comissão Executiva o escritor Conceição Cristóvão, seguindo-se David Mendes e Nicolau Sebastião da Conceição “Kudjimbe”.