Dario de Melo quer literatura no currículo escolar

  • Alunos em sala de leitura
Luanda- O escritor angolano Dario de Melo destacou, esta quinta-feira, a necessidade de incorporação do ensino da literatura no currículo escolar.

O também jornalista, que falava numa conferência via Zoom, organizada pela Academia Angolana de Letras, disse que a intenção é permitir que as crianças se ambientem com a literatura angolana, desde tenra idade, por ser nas escolas aonde têm o primeiro contacto com a escrita e a leitura.

Manifestou-se desapontado com o actual estado do mercado literário infantil angolano, que considerou estar em fase terminal e marcado pela quase inexistência de edições regulares, estando os poucos mais de dois mil exemplares editados apenas confinados na capital angolana.

“Nos últimos anos quase que não se fala da literatura infantil e se o fazem, normalmente, é apenas na província de Luanda”, adiantou o escritor e jornalista.

Na óptica de Dario de Melo ainda é possível salvar a literatura infantil, bastando boa vontade dos escritores, editores e bons leitores.

Com relação as bibliotecas, disse ser urgente a sua reabertura, para atrair e despertar a leitura nas pessoas,  principalmente nas crianças.

Dario de Melo nasceu em Benguela, a 2 de Dezembro de 1935. É escritor, jornalista e professor, e membro da União dos Jornalistas Angolanos (UJA) e da União dos Escritores Angolanos (UEA), de que foi presidente da mesa da Assembleia Geral, entre 2002 e 2010.

Tem editados 18 títulos de literatura infantil e juvenil, entre os quais “As sete vidas de um gato”, em 2002, com o qual conquistou o prémio em literatura infantil, dos Países de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), em 1998.

O também jornalista, que falava numa conferência via Zoom, organizada pela Academia Angolana de Letras, disse que a intenção é permitir que as crianças se ambientem com a literatura angolana, desde tenra idade, por ser nas escolas aonde têm o primeiro contacto com a escrita e a leitura.

Manifestou-se desapontado com o actual estado do mercado literário infantil angolano, que considerou estar em fase terminal e marcado pela quase inexistência de edições regulares, estando os poucos mais de dois mil exemplares editados apenas confinados na capital angolana.

“Nos últimos anos quase que não se fala da literatura infantil e se o fazem, normalmente, é apenas na província de Luanda”, adiantou o escritor e jornalista.

Na óptica de Dario de Melo ainda é possível salvar a literatura infantil, bastando boa vontade dos escritores, editores e bons leitores.

Com relação as bibliotecas, disse ser urgente a sua reabertura, para atrair e despertar a leitura nas pessoas,  principalmente nas crianças.

Dario de Melo nasceu em Benguela, a 2 de Dezembro de 1935. É escritor, jornalista e professor, e membro da União dos Jornalistas Angolanos (UJA) e da União dos Escritores Angolanos (UEA), de que foi presidente da mesa da Assembleia Geral, entre 2002 e 2010.

Tem editados 18 títulos de literatura infantil e juvenil, entre os quais “As sete vidas de um gato”, em 2002, com o qual conquistou o prémio em literatura infantil, dos Países de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), em 1998.