Enigma Teatro leva em cena “Teatro Musical Galáxia”

  • Teatro Musical Galáxia”
Luanda – O Enigma Teatro leva em cena, nos dias 25 e 26 deste mês, na sala da Liga Africana, em Luanda, o espectáculo “Teatro Musical Galáxia”.

Baseado nos princípios do experimentalismo, “Galáxia” é um projecto inovador, dado o contexto artístico angolano.

“Inovar é sempre relativo e tanto se pode inovar com o novo como se pode inovar com o antigo, porque a invenção é uma forma de reinvenção”,  destaca o grupo em nota de imprensa.

Avança que o projecto caracteriza-se na sua forma e conteúdo. “As músicas cantadas são clássicos de musicais da Broadway, adaptados à nossa língua, onde a performance casa perfeitamente com histórias, músicas e danças africanas (angolanas), interpretado por especialistas e técnicos na área”, assinala.

O projecto tem no elenco, entre outros, Amélia Trosso – Soprano, Helton Agú-Água – Performer Julieta Trosso – Mezzo, Jéssica Pedro – dançarina, Kaza Ngoma – percussionista, Mariana Trosso – Soprano, Manuel da Costa – actor, Tetembwa Ya Mwika – Soprano, Wilson Cavela –actor, e Zatara Bunga – Barítono Atenorado.

A Companhia Enigma Teatro tem na sua galeria os prémios Cidade de Luanda – 2010, Prémio Nacional de Cultura e Artes – 2014 e o Prémio Angola 40 anos de Independência – 2015.

O Enigma Teatro passou, a partir do dia 15 de Novembro de 2008, a reger-se pela Lei das Associações e demais legislação aplicável às associações na República de Angola, adquirindo concomitantemente a sua personalidade jurídica.

O grupo foi vencedor do primeiro Concurso Nacional de Teatro realizado em Benguela em Agosto de 1989, no Âmbito do Fenacult, com a peça intitulada “Kakila” e na segunda edição do mesmo concurso o grupo ocupou a segunda posição.

Participou pela primeira vez no concurso Prémio Cidade de Luanda na edição de 2008 e ocupou a segunda posição para a melhor encenação e o melhor actor, com a peça intitulada "De Luandinha a Luanda para Luandão".

Baseado nos princípios do experimentalismo, “Galáxia” é um projecto inovador, dado o contexto artístico angolano.

“Inovar é sempre relativo e tanto se pode inovar com o novo como se pode inovar com o antigo, porque a invenção é uma forma de reinvenção”,  destaca o grupo em nota de imprensa.

Avança que o projecto caracteriza-se na sua forma e conteúdo. “As músicas cantadas são clássicos de musicais da Broadway, adaptados à nossa língua, onde a performance casa perfeitamente com histórias, músicas e danças africanas (angolanas), interpretado por especialistas e técnicos na área”, assinala.

O projecto tem no elenco, entre outros, Amélia Trosso – Soprano, Helton Agú-Água – Performer Julieta Trosso – Mezzo, Jéssica Pedro – dançarina, Kaza Ngoma – percussionista, Mariana Trosso – Soprano, Manuel da Costa – actor, Tetembwa Ya Mwika – Soprano, Wilson Cavela –actor, e Zatara Bunga – Barítono Atenorado.

A Companhia Enigma Teatro tem na sua galeria os prémios Cidade de Luanda – 2010, Prémio Nacional de Cultura e Artes – 2014 e o Prémio Angola 40 anos de Independência – 2015.

O Enigma Teatro passou, a partir do dia 15 de Novembro de 2008, a reger-se pela Lei das Associações e demais legislação aplicável às associações na República de Angola, adquirindo concomitantemente a sua personalidade jurídica.

O grupo foi vencedor do primeiro Concurso Nacional de Teatro realizado em Benguela em Agosto de 1989, no Âmbito do Fenacult, com a peça intitulada “Kakila” e na segunda edição do mesmo concurso o grupo ocupou a segunda posição.

Participou pela primeira vez no concurso Prémio Cidade de Luanda na edição de 2008 e ocupou a segunda posição para a melhor encenação e o melhor actor, com a peça intitulada "De Luandinha a Luanda para Luandão".