Escritor angolano Tazuary Nkeita convidado de honra na Guiné     

  • Escritor José Caetano
Conakry – O escritor angolano Tazuary Nkeita, pseudónimo de José Soares Caetano, participa, como convidado de honra, em Conakry, na próxima sexta-feira, na cerimónia de lançamento de um livro dedicado aos primeiros três presidentes daquele país africano.   

Tazuary Nkeita, que se encontra naquele país, em visita privada, disse à ANGOP que se sente “honrado” pelo facto e prometeu fazer mais considerações sobre o assunto depois da cerimónia. 
 
Os primeiros três presidentes da Guiné foram Ahmed Sékou Touré (2 de Outubro de 1958 a 26 de Março de 1984), Lansana Conté (5 de Abril de 1984 a 22 de Dezembro de 2008) e Alpha Condé (de 21 de Dezembro de 2010 à actualidade).  
 
José da Costa Soares Caetana, de seu nome completo, é, desde 1995, oficial de informação e promoção da saúde junto do Escritório da Organização Mundial da Saúde (OMS) em Angola. 
 
Jornalista e escritor, natural de Luanda, Angola, onde nasceu aos 11 de Janeiro de 1956, diz que o pseudónimo foi por ele criado, em 1972, enquanto redactor/colaborador de boletins de carácter escolar, em Angola. 
 
Como jornalista, desde 1975, Tazuary Nkeita pertence ao grupo dos que podem ser considerados “testemunhas vivas” do nascimento da nação angolana, que ele começou a servir aos 19 anos, nas vésperas da independência do país, quando integrou o núcleo dos fundadores de Agência Angola Press (ANGOP). 
 
Na condição de repórter ao serviço da agência, acompanhou visitas do Presidente António Agostinho Neto por vários países, como a Guiné Conacry, Guiné-Bissau, Cabo-Verde, Zâmbia, Tanzânia, Moçambique, Cuba, antiga União Soviética e Bulgária. 
 
Tornou-se cronista assíduo do Jornal de Angola, a partir de 1976 e, em 2001, estreou-se na literatura com a obra “42.4 – A voz dos Dibengos”, crónicas romanceadas, uma sátira sobre a sociedade angolana do seu tempo.  
 
Em 2005, publicou o seu segundo romance com o título “A minha pulseira de ouro” e, em 2011, o romance “O Último Segredo”.

Tazuary Nkeita, que se encontra naquele país, em visita privada, disse à ANGOP que se sente “honrado” pelo facto e prometeu fazer mais considerações sobre o assunto depois da cerimónia. 
 
Os primeiros três presidentes da Guiné foram Ahmed Sékou Touré (2 de Outubro de 1958 a 26 de Março de 1984), Lansana Conté (5 de Abril de 1984 a 22 de Dezembro de 2008) e Alpha Condé (de 21 de Dezembro de 2010 à actualidade).  
 
José da Costa Soares Caetana, de seu nome completo, é, desde 1995, oficial de informação e promoção da saúde junto do Escritório da Organização Mundial da Saúde (OMS) em Angola. 
 
Jornalista e escritor, natural de Luanda, Angola, onde nasceu aos 11 de Janeiro de 1956, diz que o pseudónimo foi por ele criado, em 1972, enquanto redactor/colaborador de boletins de carácter escolar, em Angola. 
 
Como jornalista, desde 1975, Tazuary Nkeita pertence ao grupo dos que podem ser considerados “testemunhas vivas” do nascimento da nação angolana, que ele começou a servir aos 19 anos, nas vésperas da independência do país, quando integrou o núcleo dos fundadores de Agência Angola Press (ANGOP). 
 
Na condição de repórter ao serviço da agência, acompanhou visitas do Presidente António Agostinho Neto por vários países, como a Guiné Conacry, Guiné-Bissau, Cabo-Verde, Zâmbia, Tanzânia, Moçambique, Cuba, antiga União Soviética e Bulgária. 
 
Tornou-se cronista assíduo do Jornal de Angola, a partir de 1976 e, em 2001, estreou-se na literatura com a obra “42.4 – A voz dos Dibengos”, crónicas romanceadas, uma sátira sobre a sociedade angolana do seu tempo.  
 
Em 2005, publicou o seu segundo romance com o título “A minha pulseira de ouro” e, em 2011, o romance “O Último Segredo”.