Historiador narra feitos de Kimpa Vita  

  • Historiador Patrício Baatiskama
Luanda - O historiador angolano Patrício Batiskama lança, nesta segunda-feira (25), no Brasil, a obra "Dona Beatriz Nsimba Vita", dedicada à nacionalista Kimpa Vita. 

O livro traz histórias relacionadas com a trajectória desta mulher, como forma de  tornar o seu legado mais conhecido, principalmente entre a nova geração. 

Segundo o autor, "Dona Beatriz Nsiba Vita" até hoje não é conhecida no espaço académico, social e político angolano da melhor forma, daí este contributo histórico. 

"Fala-se da Kimpa Vita como uma profetisa e ninguém conta bem a história dela", afirmou o historiador à ANGOP. 

O também académico disse que a obra traz as duas fontes que abordaram sobre esta personalidade: os Capuchinhos Fernando Zagalo e Lourenço e a tradição oral.

"Todos os que falam sobre ela citam as fontes escritas pelos padres e fréis católicos ou das fontes da tradição oral religiosa", sunlinhou o historiador. 

A obra, a ser lançada no Rio de Janeiro,  introduz a tradição oral e histórica de como a família de Kimpa Vita, o filho e a linhagem registou a história, bem como as pessoas que a rodeavam se envolveram.

Para compilar o livro, Patrício Batiskama  consultou documentos do Vaticano, da Bélgica, da Suécia e diversas gravações, bem como fontes orais.

Com 220 páginas, a obra sai com a chancelaria da editora brasileira ANCESTER, em colaboração com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em Estudos Africanos.

 O autor participará através da plataforma digital Zoom, com a apresentaçao de uma aula. 

Em Angola, o livro será lançado a 28 de Fevereiro próximo. 

Natural da província do Uíge, Patrício Batsikama é autor de obras como  “Tokoismo, Teologia da Libertação”, “O Reino do Kongo e a sua Origem Meridional",  "Makela ma Zombo" e "Nação, Nacionalidade e Nacionalismo em Angola".

É docente do Instituto Superior Tocoísta (ISPT), de onde também é coordenador do Centro de Estudo e Investigação Científica Aplicada (CEICA).

Dona Beatriz Kimpa Vita, também conhecida por Beatrice de São Salvador do Congo e Kimpa Vita, foi uma profetiza e líder política do Reino do Congo, e líder política da capital congolesa, Mbanza Congo, durante uma brevidade de tempo.
 
Capitaneou movimentos de reunificação nacional, utilizando-se de características religiosas, a partir do movimento cristão "Antonianismo", para quem que Jesus Cristo e outras figuras cristãs primitivas eram oriundas do Reino do Congo. 

Embora o papel de Kimpa Vita tenha sido ignorado pelos historiadores durante quase três séculos, os anos de sua influência são alguns dos melhores documentados na história dos povos de Angola.
 

O livro traz histórias relacionadas com a trajectória desta mulher, como forma de  tornar o seu legado mais conhecido, principalmente entre a nova geração. 

Segundo o autor, "Dona Beatriz Nsiba Vita" até hoje não é conhecida no espaço académico, social e político angolano da melhor forma, daí este contributo histórico. 

"Fala-se da Kimpa Vita como uma profetisa e ninguém conta bem a história dela", afirmou o historiador à ANGOP. 

O também académico disse que a obra traz as duas fontes que abordaram sobre esta personalidade: os Capuchinhos Fernando Zagalo e Lourenço e a tradição oral.

"Todos os que falam sobre ela citam as fontes escritas pelos padres e fréis católicos ou das fontes da tradição oral religiosa", sunlinhou o historiador. 

A obra, a ser lançada no Rio de Janeiro,  introduz a tradição oral e histórica de como a família de Kimpa Vita, o filho e a linhagem registou a história, bem como as pessoas que a rodeavam se envolveram.

Para compilar o livro, Patrício Batiskama  consultou documentos do Vaticano, da Bélgica, da Suécia e diversas gravações, bem como fontes orais.

Com 220 páginas, a obra sai com a chancelaria da editora brasileira ANCESTER, em colaboração com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em Estudos Africanos.

 O autor participará através da plataforma digital Zoom, com a apresentaçao de uma aula. 

Em Angola, o livro será lançado a 28 de Fevereiro próximo. 

Natural da província do Uíge, Patrício Batsikama é autor de obras como  “Tokoismo, Teologia da Libertação”, “O Reino do Kongo e a sua Origem Meridional",  "Makela ma Zombo" e "Nação, Nacionalidade e Nacionalismo em Angola".

É docente do Instituto Superior Tocoísta (ISPT), de onde também é coordenador do Centro de Estudo e Investigação Científica Aplicada (CEICA).

Dona Beatriz Kimpa Vita, também conhecida por Beatrice de São Salvador do Congo e Kimpa Vita, foi uma profetiza e líder política do Reino do Congo, e líder política da capital congolesa, Mbanza Congo, durante uma brevidade de tempo.
 
Capitaneou movimentos de reunificação nacional, utilizando-se de características religiosas, a partir do movimento cristão "Antonianismo", para quem que Jesus Cristo e outras figuras cristãs primitivas eram oriundas do Reino do Congo. 

Embora o papel de Kimpa Vita tenha sido ignorado pelos historiadores durante quase três séculos, os anos de sua influência são alguns dos melhores documentados na história dos povos de Angola.