Seis monumentos aguardam por classificação no Huambo

  • Huambo: Largo Deolinda Rodrigues
Huambo – Seis monumentos e sítios na província do Huambo aguardam por classificação a património histórico e cultural da República de Angola, para uma melhor protecção, conservação e exploração turística, soube a ANGOP, esta segunda-feira.

Tratam-se da Ombala Mbalundo, da Montanha Halavala, da Missão Evangélica do Chilome, da Igreja  Católica no Cuando e Canhe, bem como a do Bongo, pertencente à Igreja Adventista do 7º Dia.

Ao confirmar o facto, o director local do Gabinete da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos, Jeremias Piedade, referiu que a classificação destes momentos a património nacional está prevista para 2022.

Informou que a província do Huambo conta, nesta altura, com seis monumentos e sítios já classificados como património nacional, designadamente Estação Arqueológica do Feti, Pedras de Caninquile, Largo Doutor António Agostinho Neto, Pedras Kandumbu, Ombala Grande do Huambo e o  Forte da Quissala, dos 126 controlados.

Jeremias Piedade disse ser um grande desafio do sector da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos tornar reconhecido todos os monumentos e sítios da província, tendo com conta a protecção, valorização e conservação que se pretende dar a esses locais históricos e culturais.

“Este desafio constitui o principal caminho para conservação desses espaços como património de todos, evitando, deste modo, actos de vandalização e destruição, facto que levaria a perca do essencial e do valor cultural que representam para o povo do planalto central de Angola”, vincou o responsável.

Acrescentou que a garantia da protecção e conservação desses espaços constitui uma das grandes preocupações do Governo, com foco na transformação desses locais em centros de atracção turística e de arrecadação de receitas públicas.

Tratam-se da Ombala Mbalundo, da Montanha Halavala, da Missão Evangélica do Chilome, da Igreja  Católica no Cuando e Canhe, bem como a do Bongo, pertencente à Igreja Adventista do 7º Dia.

Ao confirmar o facto, o director local do Gabinete da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos, Jeremias Piedade, referiu que a classificação destes momentos a património nacional está prevista para 2022.

Informou que a província do Huambo conta, nesta altura, com seis monumentos e sítios já classificados como património nacional, designadamente Estação Arqueológica do Feti, Pedras de Caninquile, Largo Doutor António Agostinho Neto, Pedras Kandumbu, Ombala Grande do Huambo e o  Forte da Quissala, dos 126 controlados.

Jeremias Piedade disse ser um grande desafio do sector da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos tornar reconhecido todos os monumentos e sítios da província, tendo com conta a protecção, valorização e conservação que se pretende dar a esses locais históricos e culturais.

“Este desafio constitui o principal caminho para conservação desses espaços como património de todos, evitando, deste modo, actos de vandalização e destruição, facto que levaria a perca do essencial e do valor cultural que representam para o povo do planalto central de Angola”, vincou o responsável.

Acrescentou que a garantia da protecção e conservação desses espaços constitui uma das grandes preocupações do Governo, com foco na transformação desses locais em centros de atracção turística e de arrecadação de receitas públicas.