Igreja Tocoista apresenta novos projectos sociais

  • Afonso Nunes
Luanda  - A construção de instituições de ensino, a abertura de novas rádios pelo interior de Angola e a extensão da "Cozinha Comunitária" são alguns dos projectos sociais da Igreja do Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo (Tocoista) para 2021.

Ao apresentar à Angop os desafios da referida congregação para o presente período, o líder tocoista, bispo Afonso Nunes, referiu que, entre as várias acções, está prevista a construção de escolas nas províncias do Uige e do Cuanza Sul, no quadro da responsabilidade social da Igreja e da parceria com o Estado angolano.

Apontou, de igual modo, o aumento de salas de aulas no Instituto Superior Politécnico Tocoista (ISPT), localizado no Golfo 1, município do Kilamba Kiaxi, com vista a inclusão de novos cursos curriculares, com destaque para o de Medicina, estando também em projecção o início da edificação do "Hospital Escola", com capacidade para 300 camas.

De acordo com o bispo tocoista, neste momento estão a ser encetados contactos com as autoridades   governamentais para a obtenção da licença para a emissão da Rádio Tocoista a partir do Wacu Cungo, província do Cuanza Sul, e Negage (Uige), respectivamente.

"O reforço das relações com o Estado angolano constitui prioridade da Igreja do Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo para o ano em curso, contribuindo com conselhos e projectos sociais em todo o país", destacou.

Consta das prioridades, de igual modo, um projecto agro-pecuário no colonato de Nsosso, município da Damba, província do Uige,  sendo o pioneiro dos vários que a igreja implementará, com vista a ensinar o povo a participar em acções de combate à fome e na redução da pobreza.

Entre os projectos, Afonso Nunes citou também o reforço da cozinha comunitária que já alimentou mais de 100 mil cidadãos em situação de vulnerabilidade nas províncias de Luanda, Cunene e Benguela.

Questionado sobre a situação do templo derrubado pela Administração Municipal de Cacuaco, o líder tocoista manifestou-se agastado com a atitude das autoridades locais considerando-a de “abuso de poder”.

Referiu que o templo da Igreja Tocoista derrubado no ano transacto na localidade do Sequele tinha toda a documentação que legitimava a sua edificação.

Na sua óptica, “esta acção constitui um erro de governação que deve ser corrigido com urgência, visto que o lema do executivo para este mandato é Corrigir o que está mal e melhorar o que está bem”.

Dom Afonso Nunes lamentou, por outro lado, que este seja o segundo templo da sua congregação a ser derrubado pelas autoridades províncias de Luanda, a exemplo do ocorrido na Chicala, distrito urbano da Ingombota.

Na ocasião, apelou as autoridades de direito no sentido de solucionarem este diferendo, para permitir a criação de condições para que os fiéis dessa congregação possam realizar os seus cultos nos locais próximas das suas residências.

Por outro lado, destacou a figura do profeta Simão Toco, cujo 37º (trigésimo sétimo) aniversário do sepultamento se assinalou, neste domingo, em Ntaya Maquela do Zombo, província do Uige.

Ao apresentar à Angop os desafios da referida congregação para o presente período, o líder tocoista, bispo Afonso Nunes, referiu que, entre as várias acções, está prevista a construção de escolas nas províncias do Uige e do Cuanza Sul, no quadro da responsabilidade social da Igreja e da parceria com o Estado angolano.

Apontou, de igual modo, o aumento de salas de aulas no Instituto Superior Politécnico Tocoista (ISPT), localizado no Golfo 1, município do Kilamba Kiaxi, com vista a inclusão de novos cursos curriculares, com destaque para o de Medicina, estando também em projecção o início da edificação do "Hospital Escola", com capacidade para 300 camas.

De acordo com o bispo tocoista, neste momento estão a ser encetados contactos com as autoridades   governamentais para a obtenção da licença para a emissão da Rádio Tocoista a partir do Wacu Cungo, província do Cuanza Sul, e Negage (Uige), respectivamente.

"O reforço das relações com o Estado angolano constitui prioridade da Igreja do Nosso Senhor Jesus Cristo no Mundo para o ano em curso, contribuindo com conselhos e projectos sociais em todo o país", destacou.

Consta das prioridades, de igual modo, um projecto agro-pecuário no colonato de Nsosso, município da Damba, província do Uige,  sendo o pioneiro dos vários que a igreja implementará, com vista a ensinar o povo a participar em acções de combate à fome e na redução da pobreza.

Entre os projectos, Afonso Nunes citou também o reforço da cozinha comunitária que já alimentou mais de 100 mil cidadãos em situação de vulnerabilidade nas províncias de Luanda, Cunene e Benguela.

Questionado sobre a situação do templo derrubado pela Administração Municipal de Cacuaco, o líder tocoista manifestou-se agastado com a atitude das autoridades locais considerando-a de “abuso de poder”.

Referiu que o templo da Igreja Tocoista derrubado no ano transacto na localidade do Sequele tinha toda a documentação que legitimava a sua edificação.

Na sua óptica, “esta acção constitui um erro de governação que deve ser corrigido com urgência, visto que o lema do executivo para este mandato é Corrigir o que está mal e melhorar o que está bem”.

Dom Afonso Nunes lamentou, por outro lado, que este seja o segundo templo da sua congregação a ser derrubado pelas autoridades províncias de Luanda, a exemplo do ocorrido na Chicala, distrito urbano da Ingombota.

Na ocasião, apelou as autoridades de direito no sentido de solucionarem este diferendo, para permitir a criação de condições para que os fiéis dessa congregação possam realizar os seus cultos nos locais próximas das suas residências.

Por outro lado, destacou a figura do profeta Simão Toco, cujo 37º (trigésimo sétimo) aniversário do sepultamento se assinalou, neste domingo, em Ntaya Maquela do Zombo, província do Uige.