JMPLA apela à preservação da cultura

  • Rainha Mwana Cafunfo no centro recebe em Audiência  o Secretário Nacional da JMPLA (à dir), Crispiano dos Santos
Cuango - O secretário nacional da JMPLA, Crispiano dos Santos, apelou hoje, sexta-feira, no município do Cuando, província da Lunda Norte, às autoridades tradicionais a promover acções de preservação, valorização e divulgação da cultura local.

Crispiano Dos Santos fez este pronunciamento durante um encontro de cortesia mantido com a rainha Mwana Cafunfu, na vila de Cafunfo, com quem abordou questões ligadas à cultura, situação socioeconómica e política da localidade.

Defendeu a necessidade de se preservar, valorizar e divulgar mais os hábitos e costumes dos povos lunda tchokwe e de outras etnias que habitam na circunscrição.

Pediu ainda às autoridades tradicionais a ajudar as novas gerações a conhecer melhor as suas origens e a riqueza da cultura da região.

Crispiano dos Santos defendeu maior atenção ao património cultural para se evitar que desapareça, facto que pode provocar a perda da identidade dos povos locais.

Realçou a importância de se aproveitar as potencialidades culturais da província da Lunda Norte no sentido de promover o turismo local, garantir a criação de empregos e diversificação da economia.

A província da Lunda Norte é constituída por diferentes grupos etnolinguísticos como os tchokwes, lundas, balubas, kakhongos, imbangalas, bondos, songos, entre outras tribos.

Os povos que habitam a província da Lunda Norte têm vocação para a produção de artesanato, com destaque para feitura de esculturas de madeira e na construção de habitações tradicionais, dança, entre outras artes.

As danças txianda, txissela, kalukuta, kandowa, makhopo, maringa, kandjendje, likembe, canga e kasebu, executadas ao ritmo de instrumentos musicais tradicionais como o ngoma (batuque), thcingunvu, ndjimba, tchissanje e muiyemba, são características dos povos da província da Lunda Norte.

Crispiano Dos Santos fez este pronunciamento durante um encontro de cortesia mantido com a rainha Mwana Cafunfu, na vila de Cafunfo, com quem abordou questões ligadas à cultura, situação socioeconómica e política da localidade.

Defendeu a necessidade de se preservar, valorizar e divulgar mais os hábitos e costumes dos povos lunda tchokwe e de outras etnias que habitam na circunscrição.

Pediu ainda às autoridades tradicionais a ajudar as novas gerações a conhecer melhor as suas origens e a riqueza da cultura da região.

Crispiano dos Santos defendeu maior atenção ao património cultural para se evitar que desapareça, facto que pode provocar a perda da identidade dos povos locais.

Realçou a importância de se aproveitar as potencialidades culturais da província da Lunda Norte no sentido de promover o turismo local, garantir a criação de empregos e diversificação da economia.

A província da Lunda Norte é constituída por diferentes grupos etnolinguísticos como os tchokwes, lundas, balubas, kakhongos, imbangalas, bondos, songos, entre outras tribos.

Os povos que habitam a província da Lunda Norte têm vocação para a produção de artesanato, com destaque para feitura de esculturas de madeira e na construção de habitações tradicionais, dança, entre outras artes.

As danças txianda, txissela, kalukuta, kandowa, makhopo, maringa, kandjendje, likembe, canga e kasebu, executadas ao ritmo de instrumentos musicais tradicionais como o ngoma (batuque), thcingunvu, ndjimba, tchissanje e muiyemba, são características dos povos da província da Lunda Norte.