Filme “Mwana N’Keto” estreia nos cinemas angolanos

  • Filme Angolano "Mwana Nketo"
Lubango - Depois da estreia internacional do filme angolano “Mwana N’Keto”, em Junho último, em Lisboa (Portugal), a longa metragem chega às salas de cinema nacionais esta sexta-feira, através do Cinemax.

Trata-se de uma estreia em simultâneo nos Cinemax do Lubango (Huíla), Benguela e Huambo, assim como do Kilamba, Nova Vida e Talatona, na província de Luanda.

A obra, gravada na povoação da Caxala, província do Bengo, sob direcção de José Ambriz “Satanha Cinéfilo” e produção executiva de Sílvio Nascimento, estreia, a 13 do corrente mês, na ZAP cinemas.

Em declarações à Angop, esta terça-feira, Sílvio Nascimento disse que a produção mostra que a qualidade do cinema angolano tem estado a elevar-se e informou que, a nível internacional, o filme está em vários festivais, o que é bom para publicitá-lo, porque é dali onde sai para os cinemas.

"Estamos sempre a trabalhar, para promover os filmes angolanos nos festivais e daí seguirem para as salas comerciais. Não temos ainda muitos países com salas comerciais a comprarem o filme, mas é uma coisa que vai acontecer durante o ano", declarou.

Realçou que os bilhetes são vendidos, a partir do dia da estreia, nos referidos cinemas e neste momento estão a acautelar as medidas de biossegurança contra a Covid-19 durante o evento, que terá uma ocupação de 50 por cento da capacidade das salas.

Trata-se de uma estreia em simultâneo nos Cinemax do Lubango (Huíla), Benguela e Huambo, assim como do Kilamba, Nova Vida e Talatona, na província de Luanda.

A obra, gravada na povoação da Caxala, província do Bengo, sob direcção de José Ambriz “Satanha Cinéfilo” e produção executiva de Sílvio Nascimento, estreia, a 13 do corrente mês, na ZAP cinemas.

Em declarações à Angop, esta terça-feira, Sílvio Nascimento disse que a produção mostra que a qualidade do cinema angolano tem estado a elevar-se e informou que, a nível internacional, o filme está em vários festivais, o que é bom para publicitá-lo, porque é dali onde sai para os cinemas.

"Estamos sempre a trabalhar, para promover os filmes angolanos nos festivais e daí seguirem para as salas comerciais. Não temos ainda muitos países com salas comerciais a comprarem o filme, mas é uma coisa que vai acontecer durante o ano", declarou.

Realçou que os bilhetes são vendidos, a partir do dia da estreia, nos referidos cinemas e neste momento estão a acautelar as medidas de biossegurança contra a Covid-19 durante o evento, que terá uma ocupação de 50 por cento da capacidade das salas.