Escritores solicitam apoio do empresariado

Malanje - Escritores da província de Malanje solicitaram, nesta sexta-feira, à classe empresarial mais apoio para a produção e publicação de livros, no sentido de se fomentar o gosto pela leitura na região.

Em declarações à Angop, a propósito do 23 de Abril, Dia Mundial do Livro e do Direito do Autor, o secretário provincial da Brigada Jovem de Literatura de Malanje, Francisco Ngola, apelou aos empresários locais a criarem condições para ajudar os escritores a publicar e divulgar os seus trabalhos.

Desta forma, ressaltou, os empresários estariam a contribuir no desenvolvimento cultural da província de Malanje, em particular, e do país, no geral.

Considerou importante se valorizar mais os novos talentos no sentido de se massificar o sector literário na região.

Por sua vez, o escritor Kibuku Kianjinje afirmou que a província de Malanje possui jovens talentosos na arte de escrever poesias, prosas, contos, romances, novelas e dramatologias.

No seu entender, a falta de apoio financeiro desmotiva os jovens escritores por não conseguirem publicar as suas obras.

“Seria bom se os empresários pudessem criar uma editora na província de Malanje para facilitar a publicação de livros de autores locais, visto que muito deles estão sem recursos financeiros para pagar a edição de uma obra em Luanda”, salientou.

Já o responsável da empresa Nhanga Abílio (promotora de eventos culturais e venda de livros em Malanje), Delfino Bubas, defende a criação por parte do Governo de um fundo de apoio aos escritores angolanos, no sentido de apoiar os membros desta classe a criarem obras de elevado valor, cultural, social e de entretimento.

Por sua vez, o director do Gabinete Provincial da Educação de Malanje, Manuel Osório, informou da existência de um plano estratégico da instituição que dirige para o fomento do hábito de leitura nas escolas.

Considerou a leitura uma ferramenta essencial para os alunos desenvolverem e melhorarem as suas habilidades gramáticas, orais e interpretativas.

A directora da Biblioteca Provincial de Malanje, Ema Massunga, incentivou os cidadãos a se dedicarem mais à leitura para aumentarem os seus níveis de conhecimento e estarem melhor informados.

O Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor é uma data escolhida pela Organização das Nações Unidas para a Educação a Ciência e a Cultura (UNESCO) para celebrar o livro, incentivar a leitura, homenagear autores e reflectir sobre seus direitos legais.

A data foi instituída para homenagear os escritores William Shakespeare, Miguel de Cervantes e Vladimir Nabokov.

Em declarações à Angop, a propósito do 23 de Abril, Dia Mundial do Livro e do Direito do Autor, o secretário provincial da Brigada Jovem de Literatura de Malanje, Francisco Ngola, apelou aos empresários locais a criarem condições para ajudar os escritores a publicar e divulgar os seus trabalhos.

Desta forma, ressaltou, os empresários estariam a contribuir no desenvolvimento cultural da província de Malanje, em particular, e do país, no geral.

Considerou importante se valorizar mais os novos talentos no sentido de se massificar o sector literário na região.

Por sua vez, o escritor Kibuku Kianjinje afirmou que a província de Malanje possui jovens talentosos na arte de escrever poesias, prosas, contos, romances, novelas e dramatologias.

No seu entender, a falta de apoio financeiro desmotiva os jovens escritores por não conseguirem publicar as suas obras.

“Seria bom se os empresários pudessem criar uma editora na província de Malanje para facilitar a publicação de livros de autores locais, visto que muito deles estão sem recursos financeiros para pagar a edição de uma obra em Luanda”, salientou.

Já o responsável da empresa Nhanga Abílio (promotora de eventos culturais e venda de livros em Malanje), Delfino Bubas, defende a criação por parte do Governo de um fundo de apoio aos escritores angolanos, no sentido de apoiar os membros desta classe a criarem obras de elevado valor, cultural, social e de entretimento.

Por sua vez, o director do Gabinete Provincial da Educação de Malanje, Manuel Osório, informou da existência de um plano estratégico da instituição que dirige para o fomento do hábito de leitura nas escolas.

Considerou a leitura uma ferramenta essencial para os alunos desenvolverem e melhorarem as suas habilidades gramáticas, orais e interpretativas.

A directora da Biblioteca Provincial de Malanje, Ema Massunga, incentivou os cidadãos a se dedicarem mais à leitura para aumentarem os seus níveis de conhecimento e estarem melhor informados.

O Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor é uma data escolhida pela Organização das Nações Unidas para a Educação a Ciência e a Cultura (UNESCO) para celebrar o livro, incentivar a leitura, homenagear autores e reflectir sobre seus direitos legais.

A data foi instituída para homenagear os escritores William Shakespeare, Miguel de Cervantes e Vladimir Nabokov.