Museu de Antropologia expõe “Máscara Oculta”

  • Museu de Antropologia
Luanda – O Museu de Antropologia, em parceria com a embaixada da Bélgica, expõe, a partir desta terça-feira, 20, “Máscara Oculta”, do fotógrafo belga Kristof Degrauwe.

A Máscara Oculta é uma mostra de 30 fotografias tiradas entre 1999 e 2000 em Lubumbashi, República Democrática do Congo. Esquecidas e escondidas no depósito do Museu Etnográfico da cidade, essas máscaras foram encontradas pelo fotográfo Kristof Degrauwe.

A mostra junta também obras de artistas angolanos e máscaras sobre Angola.   

A exposição é uma produção da Embaixada da Bélgica em Luanda, em parceria com o Museu Nacional de Antropologia.

Em entrevista à ANGOP, nesta segunda feira, o também curador da exposição, Kristof Degrauwe, avançou que vão estar expostos 30 fotos de máscaras oculta do Congo, Angola e Nigéria.

“Pretendendo dar uma interpretação fotográfica dos objectos sagrados, sem negar o seu valor etnográfico, trazendo-as à vida diante da sua câmara com a ajuda de jovens modelos, onde se procurou dar vida ao significado mis profundo de cada máscara”, realçou.

O autor adianta ser uma exposição para todo mundo que levará cada um dos apreciadores a uma viagem pela cultura africana e se confrontar com a mais profunda da realidade do continente berço.        

Esta série de fotos agora em Luanda provém de um trabalho realizado pelo fotógrafo a 21 anos atrás, em Lumbubashi, onde o diálogo entre as máscaras autênticas e a interpretação artística do autor se cruzaram.

Kristof Degrauwe sublinhou que existem a nível do museu 11 máscaras, onde a expressividade e o seu simbolismo de personalidade convida a conversar com outra realidade.

Durante as sete semanas de exposição das obras, Kristof Degrauwe espera receber mais de 300 visitantes, atendendo a situação actual que se impõe face a pandemia da Covid-19, lamentando o facto de o museu não abrir as portas aos finais de semana para possibilitar a presença de crianças.

Paralelamente à exposição, vão ser realizadas algumas actividades, nomeadamente oficinas de yoga, conduzidas por Kristof Degrauwe, abertas ao público, com o tema "Le Geste Kongo/Yoga D'Afrique", bem como a exibição de filme sobre o Museu Real da África Central.

Kristof Degrauwe já expôs em vários países como Bélgica, Kuwait, República Democrática do Congo, Nigéria e Brasil. Kristof é também músico e assina por Daguero, professor e praticante de Kundalini Yoga. 

 

A Máscara Oculta é uma mostra de 30 fotografias tiradas entre 1999 e 2000 em Lubumbashi, República Democrática do Congo. Esquecidas e escondidas no depósito do Museu Etnográfico da cidade, essas máscaras foram encontradas pelo fotográfo Kristof Degrauwe.

A mostra junta também obras de artistas angolanos e máscaras sobre Angola.   

A exposição é uma produção da Embaixada da Bélgica em Luanda, em parceria com o Museu Nacional de Antropologia.

Em entrevista à ANGOP, nesta segunda feira, o também curador da exposição, Kristof Degrauwe, avançou que vão estar expostos 30 fotos de máscaras oculta do Congo, Angola e Nigéria.

“Pretendendo dar uma interpretação fotográfica dos objectos sagrados, sem negar o seu valor etnográfico, trazendo-as à vida diante da sua câmara com a ajuda de jovens modelos, onde se procurou dar vida ao significado mis profundo de cada máscara”, realçou.

O autor adianta ser uma exposição para todo mundo que levará cada um dos apreciadores a uma viagem pela cultura africana e se confrontar com a mais profunda da realidade do continente berço.        

Esta série de fotos agora em Luanda provém de um trabalho realizado pelo fotógrafo a 21 anos atrás, em Lumbubashi, onde o diálogo entre as máscaras autênticas e a interpretação artística do autor se cruzaram.

Kristof Degrauwe sublinhou que existem a nível do museu 11 máscaras, onde a expressividade e o seu simbolismo de personalidade convida a conversar com outra realidade.

Durante as sete semanas de exposição das obras, Kristof Degrauwe espera receber mais de 300 visitantes, atendendo a situação actual que se impõe face a pandemia da Covid-19, lamentando o facto de o museu não abrir as portas aos finais de semana para possibilitar a presença de crianças.

Paralelamente à exposição, vão ser realizadas algumas actividades, nomeadamente oficinas de yoga, conduzidas por Kristof Degrauwe, abertas ao público, com o tema "Le Geste Kongo/Yoga D'Afrique", bem como a exibição de filme sobre o Museu Real da África Central.

Kristof Degrauwe já expôs em vários países como Bélgica, Kuwait, República Democrática do Congo, Nigéria e Brasil. Kristof é também músico e assina por Daguero, professor e praticante de Kundalini Yoga.