Músicos doam bens as vítimas da chuva no Cazenga

  • Vítimas das chuvas no Cazenga recebem ajuda
Luanda - Sessenta famílias afectadas pela chuva, no distrito urbano do Hoji ya Henda, município do Cazenga, em Luanda, receberam, nesta quinta-feira, bens alimentares diversos, cimento e chapas de zinco para reconstruir as suas residências.

A doação foi feita por um grupo de músicos e empresários angolanos  das produtoras CLÉ Intertenimento e LS-Republicano, em parceria com a administração municipal  do Cazenga.

O administrador municipal do Cazenga, Tomás Bica Mumbundu, considera que neste momento difícil o município está a receber apoios e   gestos de solidariedade de várias entidades para as famílias sinistradas, sobretudo as que perderam parentes e tiveram as  residências destruídas pela chuva.

Recordou que a acção de solidariedade não vai resolver os problemas que vivem as famílias, mas apelou a sociedade no sentido de se juntar a esta onda de solidariedade de amor ao próximo.

O empresário da CLÉ Intertenimento, Clésio Gomes, disse ser responsabilidade  social  das empresas  do ramo de entretenimento prestar solidariedade  e trazer um sorriso às famílias sinistradas, principalmente quando a chuva provoca perdas humanas e de bens.

O empresário disse não serem produtos para as necessidades básicas,  mas vão ajudar a mitigar as dificuldades das famílias, e decidiram também constar in-loco os reais problemas das comunidades do Cazenga e incentivar outros empresários.

Para o empresário e director geral da LS-Republicano, Fernando Republicano, mais do que ajudar as famílias que perderam os bens devido a chuva, é incentivar outras pessoas  a seguirem o exemplo, porque o país esta a passar por situação económica difícil.

No seu entender, se cada um dentro do possível ajudar o próximo e fizer uma acção de caridade aos que necessitam, é possível ter uma Angola melhor.

O presidente do Conselho Nacional da Juventude, (CNJ), Isaias Kalunga, presente no acto, disse que o CNJ pretende mobilizar os mais variados segmentos da sociedade para angariar apoios e ajudar as famílias carentes.  

Disse que o CNJ não esta alheio as boas iniciativas, e vai assumir o papel de mobilizador da  juventude nos mais variados segmentos para apoiar e devolver o alento às famílias que depois de calamidades como estas precisam de ajuda.

O morador José Fonseca disse que a sua casa ficou sem tecto e a ajuda é bem-vinda, pois assim vai poder reabilitar a moradia.

Afirmou que a entrega do donativo vai ajudar muitas famílias, visto que devido a chuva os habitantes carecem de quase tudo, desde alimentos, roupas e material de construção.





 

A doação foi feita por um grupo de músicos e empresários angolanos  das produtoras CLÉ Intertenimento e LS-Republicano, em parceria com a administração municipal  do Cazenga.

O administrador municipal do Cazenga, Tomás Bica Mumbundu, considera que neste momento difícil o município está a receber apoios e   gestos de solidariedade de várias entidades para as famílias sinistradas, sobretudo as que perderam parentes e tiveram as  residências destruídas pela chuva.

Recordou que a acção de solidariedade não vai resolver os problemas que vivem as famílias, mas apelou a sociedade no sentido de se juntar a esta onda de solidariedade de amor ao próximo.

O empresário da CLÉ Intertenimento, Clésio Gomes, disse ser responsabilidade  social  das empresas  do ramo de entretenimento prestar solidariedade  e trazer um sorriso às famílias sinistradas, principalmente quando a chuva provoca perdas humanas e de bens.

O empresário disse não serem produtos para as necessidades básicas,  mas vão ajudar a mitigar as dificuldades das famílias, e decidiram também constar in-loco os reais problemas das comunidades do Cazenga e incentivar outros empresários.

Para o empresário e director geral da LS-Republicano, Fernando Republicano, mais do que ajudar as famílias que perderam os bens devido a chuva, é incentivar outras pessoas  a seguirem o exemplo, porque o país esta a passar por situação económica difícil.

No seu entender, se cada um dentro do possível ajudar o próximo e fizer uma acção de caridade aos que necessitam, é possível ter uma Angola melhor.

O presidente do Conselho Nacional da Juventude, (CNJ), Isaias Kalunga, presente no acto, disse que o CNJ pretende mobilizar os mais variados segmentos da sociedade para angariar apoios e ajudar as famílias carentes.  

Disse que o CNJ não esta alheio as boas iniciativas, e vai assumir o papel de mobilizador da  juventude nos mais variados segmentos para apoiar e devolver o alento às famílias que depois de calamidades como estas precisam de ajuda.

O morador José Fonseca disse que a sua casa ficou sem tecto e a ajuda é bem-vinda, pois assim vai poder reabilitar a moradia.

Afirmou que a entrega do donativo vai ajudar muitas famílias, visto que devido a chuva os habitantes carecem de quase tudo, desde alimentos, roupas e material de construção.