Núcleo de Mulheres da RNA continuará a apoiar mulheres artistas

Luanda - A coordenadora da Feira de Artes, Ana Maria, disse hoje, sábado, que o Núcleo de Mulheres da Rádio Nacional de Angola (RNA) vai continuar a prestar todo o seu apoio às iniciativas e criatividade das mulheres fazedoras das artes.

A responsável fez esse pronunciamento à ANGOP, na feira das artes, organizado pelo Núcleo da Mulheres da RNA em parceria com o Ministério da Acção Social, Família e Promoção de Mulheres(MASFAMU), em Luanda.

Segundo a Ana Maria, uma das formas encontradas, nessa fase crítica fruto da crise da pandemia da Covid-19, é juntar as artistas em feiras, dando a oportunidade delas exporem os seus produtos, as casas criatividade e os seus negócios.

Para isso, disse estar em projecto outros eventos do género, em datas a anunciar, onde as artistas poderão expor as suas criatividades.

"Esta é uma forma de contribuição e participação activa de todas as mulheres se integrarem na sociedade" explicou.

 Para a ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, Faustina Alves, a mulher africana sempre mostrou o seu papel, com persistência na luta pela igualdade de direito e oportunidades como uma questão de justiça social e assegura a sua participação em cargos de decisão, para ver observada a resolução dos problemas.

Exortou as pessoas a terem o dia da Mulher Africana, que se assinala hoje( 31 de Julho) como reflexão sobre a necessidade de maior atenção da sociedade, para acções concretas que visam a igualdade de oportunidades entre homens e mulheres.

A feira das artes, com mais de 50 expositores, para assinalar o dia da Mulher Africana, tem exposto produtos como vestuário, cestaria, culinária, cosméticos, entre outros.

A responsável fez esse pronunciamento à ANGOP, na feira das artes, organizado pelo Núcleo da Mulheres da RNA em parceria com o Ministério da Acção Social, Família e Promoção de Mulheres(MASFAMU), em Luanda.

Segundo a Ana Maria, uma das formas encontradas, nessa fase crítica fruto da crise da pandemia da Covid-19, é juntar as artistas em feiras, dando a oportunidade delas exporem os seus produtos, as casas criatividade e os seus negócios.

Para isso, disse estar em projecto outros eventos do género, em datas a anunciar, onde as artistas poderão expor as suas criatividades.

"Esta é uma forma de contribuição e participação activa de todas as mulheres se integrarem na sociedade" explicou.

 Para a ministra da Acção Social, Família e Promoção da Mulher, Faustina Alves, a mulher africana sempre mostrou o seu papel, com persistência na luta pela igualdade de direito e oportunidades como uma questão de justiça social e assegura a sua participação em cargos de decisão, para ver observada a resolução dos problemas.

Exortou as pessoas a terem o dia da Mulher Africana, que se assinala hoje( 31 de Julho) como reflexão sobre a necessidade de maior atenção da sociedade, para acções concretas que visam a igualdade de oportunidades entre homens e mulheres.

A feira das artes, com mais de 50 expositores, para assinalar o dia da Mulher Africana, tem exposto produtos como vestuário, cestaria, culinária, cosméticos, entre outros.