Obras de Neto apresentadas em pinturas e ilustrações digitais no CCT

  • António Agostinho Neto, primeiro Presidente de Angola e Héroi Nacional
Luanda - Um conjunto de 21 obras, entre pinturas, ilustrações digitais, instalações artísticas e um documentário, denominado "Ainda os meus sonhos”, está em exposição no Centro de Convenções de Talatona, em Luanda, para mostrar o simbolismo e a didáctica do pensamento do poeta António Agostinho Neto.

A exposição “Ainda os meus sonhos”, aberta segunda-feira última, está patente ao público até 30 do corrente mês, no âmbito das festividades do Herói Nacional e para assinalar o 99º aniversário do primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto.

Trata-se  de uma exposição da co-autoria dos artistas Jurema Ramos “vastok” e Jamil Ramos “Parosol”, que homenageiam o poeta António Agostinho Neto, com a finalidade de transmitir o pensamento do escritor nos vários poemas contidos na sua obra “Ainda os meus sonhos”.

De acordo com Jamil Ramos, a amostra contempla oito pinturas, cinco ilustrações digitais, sete  instalações artisticas e um documentário, que retrata o período artistico até quase final da vida de António Agostinho Neto (1957 a 1974), numa selecção de poemas contidos na obra “Ainda o meu sonho“.

“Achamos ser uma grande honra homenageiar o autor, que é considerado uma das principais figuras  do país no século XX e através dos seus escritos, de certa forma, eternizar os seus feitos “, salientou.

Por sua vez, Jurema Ramos explicou que a exposição faz uma “viagem” pelo repertório literário do  poeta e procura passar a mensagem sobre o pensamento de António Agostinho Neto, no “Ainda o meu sonho“, estando dividida em oito ambientes, onde  o retrato dos musseques é bem patente na exposição.

“Nós nos sentimos satisfeitos pela exposição, pois é um factor motivador para que possamos continuar a criar, pois é um orgulho retratar as obras de Agostinho Neto”, afirmou. 

Obras como “Caminho do mato”, “Fogo e ritmo”, “Noite”, “Partida para o contrato” e “Velha negra”, entre outras, estão expostas em pintura e ilustrações digitais, instalações artísticas e documentário.

A exposição “Ainda os meus sonhos”, aberta segunda-feira última, está patente ao público até 30 do corrente mês, no âmbito das festividades do Herói Nacional e para assinalar o 99º aniversário do primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto.

Trata-se  de uma exposição da co-autoria dos artistas Jurema Ramos “vastok” e Jamil Ramos “Parosol”, que homenageiam o poeta António Agostinho Neto, com a finalidade de transmitir o pensamento do escritor nos vários poemas contidos na sua obra “Ainda os meus sonhos”.

De acordo com Jamil Ramos, a amostra contempla oito pinturas, cinco ilustrações digitais, sete  instalações artisticas e um documentário, que retrata o período artistico até quase final da vida de António Agostinho Neto (1957 a 1974), numa selecção de poemas contidos na obra “Ainda o meu sonho“.

“Achamos ser uma grande honra homenageiar o autor, que é considerado uma das principais figuras  do país no século XX e através dos seus escritos, de certa forma, eternizar os seus feitos “, salientou.

Por sua vez, Jurema Ramos explicou que a exposição faz uma “viagem” pelo repertório literário do  poeta e procura passar a mensagem sobre o pensamento de António Agostinho Neto, no “Ainda o meu sonho“, estando dividida em oito ambientes, onde  o retrato dos musseques é bem patente na exposição.

“Nós nos sentimos satisfeitos pela exposição, pois é um factor motivador para que possamos continuar a criar, pois é um orgulho retratar as obras de Agostinho Neto”, afirmou. 

Obras como “Caminho do mato”, “Fogo e ritmo”, “Noite”, “Partida para o contrato” e “Velha negra”, entre outras, estão expostas em pintura e ilustrações digitais, instalações artísticas e documentário.