Ondjaki inaugura o Encontro de Leituras

  • Escritor Ondjaki
Luanda – O escritor angolano Ondjaki, com o romance “Bom dia Camaradas”, é um dos convidados da primeira sessão do Encontro de Leituras, iniciativa conjunta dos jornais português "Público" e brasileiro "Folha de São Paulo", a ter lugar dia 15 deste mês.

Segundo o jornal O Público, na sua edição desta terça-feira,  o  clube, que junta leitores de língua portuguesa, acontecerá uma vez por mês na plataforma Zoom e discutirá romances, ensaios, memórias e obras de jornalismo literário, na presença de um escritor, editor ou especialista convidado.

Todos os participantes podem falar sobre o livro em debate.

O livro “Bom Dia Camaradas”, o primeiro romance do autor, leva os leitores à Luanda da década de 80, pela voz da criança que ele foi.

Em Portugal, a obra foi publicada em 2003 pela editorial Caminho e no Brasil saiu pela Companhia de Letras.

Ondjaki regressou há três anos a Luanda, onde nasceu em 1977, depois de ter vivido sete anos no Rio de Janeiro.

O autor tem no mercado várias obras, entre romances, poesia e contos infantis.

Entre as suas conquistas consta a Menção Honrosa no Prémio António Jacinto (2000), com Actu Sanguíneu, Prémio Sagrada Esperança  (Angola, 2004), com E se amanhã o medo, e Prémio António Paulouro  (Portugal, 2005), também com E se amanhã o medo.

Segundo o jornal O Público, na sua edição desta terça-feira,  o  clube, que junta leitores de língua portuguesa, acontecerá uma vez por mês na plataforma Zoom e discutirá romances, ensaios, memórias e obras de jornalismo literário, na presença de um escritor, editor ou especialista convidado.

Todos os participantes podem falar sobre o livro em debate.

O livro “Bom Dia Camaradas”, o primeiro romance do autor, leva os leitores à Luanda da década de 80, pela voz da criança que ele foi.

Em Portugal, a obra foi publicada em 2003 pela editorial Caminho e no Brasil saiu pela Companhia de Letras.

Ondjaki regressou há três anos a Luanda, onde nasceu em 1977, depois de ter vivido sete anos no Rio de Janeiro.

O autor tem no mercado várias obras, entre romances, poesia e contos infantis.

Entre as suas conquistas consta a Menção Honrosa no Prémio António Jacinto (2000), com Actu Sanguíneu, Prémio Sagrada Esperança  (Angola, 2004), com E se amanhã o medo, e Prémio António Paulouro  (Portugal, 2005), também com E se amanhã o medo.