MCTA distingue promotores e agentes culturais

  • Ministro da Cultura e Turismo, Jomo Fortunato fala à imprensa
Luanda – Agentes e promotores culturais foram, nesta sexta-feira, distinguidos, pelo Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente, com diplomas de mérito e de honra pelo contributo no desenvolvimento e engrandecimento da cultura nacional.

Numa actividade enquadrada nas comemorações do 8 de Janeiro (Dia Nacional da Cultura), assinalado nesta sexta-feira, os artistas receberam das mãos do ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Jomo Fortunato, diplomas pelo empenho na promoção das várias formas de arte.

Constam dos homenageados Televisão Pública de Angola (TPA), TV Zimbo, ZAP-Viva, Rádio Nacional de Angola (RNA), Rádio Luanda, Platine Line, Nova Energia, AF-Entertenimentos, Rádio Vial, Espaços Aplausos e Associação Chá de Caxinde.

Fazem ainda parte dos contemplados, o músico Prado Paim, Tony Amado, os jornalistas Venceslau Mateus, Elisa Coelho, António Bequengue, o alfarrabista João Carvalho, o bibliotecário Ernesto Baptista, bem como o fotografo Raúl Boss e os escritores Luís Kandjimbo e Kanguimbo Ananás, pelo contributo na elevação da cultura nacional.

O responsável da Nova Energia, Yuri Simão, empresa mentora do espectáculo Show do Mês, manifestou a sua satisfação com o reconhecimento do seu trabalho pelo ministério da Cultura, principalmente nesta época de pandemia da Covid-19.

Por seu turno, o criador do estilo Kuduro, Tony Amado, disse que é a primeira vez que recebe o reconhecimento por parte do ministério, pela criação do estilo e da dança (Kuduro), 25 anos depois de apresentar num dos programas da Televisão Pública de Angola (TPA).

Regozijou-se pelo facto do estilo criado ter espaço nas diferentes cadeias televisivas angolanas.

Já a escritora Kanguimbo Ananás agradeceu o prémio e disse que vai continuar a escrever para a juventude e contribuir para a cultura nacional.

Por sua vez, o ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Jomo Fortunato, ao intervir no acto central do dia da Cultura, realizado no Arquivo Nacional de Angola (ANA), reconheceu que o executivo tem um papel decisivo e insubstituível no financiamento da implementação da política cultural.

Nesta ordem de ideia, prosseguiu, deve contar com o concurso dos distintos sectores da economia e da sociedade, nomeadamente das empresas, agremiações sócio-profissionais, fundações e associações, entre outras.

Daí que se torna urgente aplicar na prática os princípios básicos que definem o mecenato cultural, sobretudo da investigação no domínio da cultura.

Na sua óptica, tem que se reforçar a parceria institucional e social com as igrejas, tendo em conta o papel desempenhado na moralização e educação das populações.

Disse ainda que a realização de feiras do livro pode contribuir para criação de espaços de lazer e combater a delinquência juvenil, um mal que se depara em quase todos os municípios da cidade capital.

 

Numa actividade enquadrada nas comemorações do 8 de Janeiro (Dia Nacional da Cultura), assinalado nesta sexta-feira, os artistas receberam das mãos do ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Jomo Fortunato, diplomas pelo empenho na promoção das várias formas de arte.

Constam dos homenageados Televisão Pública de Angola (TPA), TV Zimbo, ZAP-Viva, Rádio Nacional de Angola (RNA), Rádio Luanda, Platine Line, Nova Energia, AF-Entertenimentos, Rádio Vial, Espaços Aplausos e Associação Chá de Caxinde.

Fazem ainda parte dos contemplados, o músico Prado Paim, Tony Amado, os jornalistas Venceslau Mateus, Elisa Coelho, António Bequengue, o alfarrabista João Carvalho, o bibliotecário Ernesto Baptista, bem como o fotografo Raúl Boss e os escritores Luís Kandjimbo e Kanguimbo Ananás, pelo contributo na elevação da cultura nacional.

O responsável da Nova Energia, Yuri Simão, empresa mentora do espectáculo Show do Mês, manifestou a sua satisfação com o reconhecimento do seu trabalho pelo ministério da Cultura, principalmente nesta época de pandemia da Covid-19.

Por seu turno, o criador do estilo Kuduro, Tony Amado, disse que é a primeira vez que recebe o reconhecimento por parte do ministério, pela criação do estilo e da dança (Kuduro), 25 anos depois de apresentar num dos programas da Televisão Pública de Angola (TPA).

Regozijou-se pelo facto do estilo criado ter espaço nas diferentes cadeias televisivas angolanas.

Já a escritora Kanguimbo Ananás agradeceu o prémio e disse que vai continuar a escrever para a juventude e contribuir para a cultura nacional.

Por sua vez, o ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Jomo Fortunato, ao intervir no acto central do dia da Cultura, realizado no Arquivo Nacional de Angola (ANA), reconheceu que o executivo tem um papel decisivo e insubstituível no financiamento da implementação da política cultural.

Nesta ordem de ideia, prosseguiu, deve contar com o concurso dos distintos sectores da economia e da sociedade, nomeadamente das empresas, agremiações sócio-profissionais, fundações e associações, entre outras.

Daí que se torna urgente aplicar na prática os princípios básicos que definem o mecenato cultural, sobretudo da investigação no domínio da cultura.

Na sua óptica, tem que se reforçar a parceria institucional e social com as igrejas, tendo em conta o papel desempenhado na moralização e educação das populações.

Disse ainda que a realização de feiras do livro pode contribuir para criação de espaços de lazer e combater a delinquência juvenil, um mal que se depara em quase todos os municípios da cidade capital.