Salvador Ferreira lança versão português/inglês do “Quotidiano San” 

Lubango - O escritor Salvador Ferreira lançou, esta quinta-feira, no Lubango, a 2ª edição do livro “Quotidiano San”, uma versão bilingue (português e inglês), uma obra que conta a história da comunidade por meio de textos e imagens.

Essa 2ª edição tem 170 paginas, mais dez que a anterior e editada pela mesma editora , a Chá de Caxinde, do que tirou mil e 500 exemplares.

Nela foram ainda incluídas novas imagens fotográficas da áreas de residência da comunidade San, vulgo “Khoisan”, assim como a correcção da grafia de algumas localidades e incluídos os nomes científicos dos frutos silvestres.

Em declarações à ANGOP, o autor disse que o livro busca ajudar o entendimento da transformação da comunidade San, do estilo de vida nómada para algo aproximado ao sedentarismo, mas que continua a realizar actividades típicas de nómadas.

Salvador Ferreira afirmou que a obra realça a sua longa trajectória de mudanças da referida população, desde a migração Bantu, colonização europeia e hoje.

“Actualmente, o quotidiano San é caracterizado por actividades de rotina realizadas durante todo ano que incluem a prestação de serviços diversos, o cuidar das lavras e animais, recolha de frutos silvestres, água para consumo e lenha, caça e artesanato, fabricação de bebidas alcoólicas, recolha de mel, entre outros”, detalhou.

Salvador Ferreira realçou que a motivação para escrever este livro começou em dois mil e nove quando, pela primeira vez, estabeleceu contacto directo com a comunidade San e, por força disso, iniciou um processo de aprendizagem relativamente ao modo de vida San.

Depois do Lubango, a obra vai ser apresentada nas províncias de Luanda,  Cunene, Cuando Cubango e Benguela.

O livro resulta de uma pesquisa realizada durante oito anos em três diferentes etapas com apoio da Associação de Conservação do Ambiente e Desenvolvimento Integrado Rural (ACADIR) e da Organização Cristã de Apoio ao Desenvolvimento Comunitário (OCADEC).

Salvador Ferreira, nascido na província do Cuanza Norte, publicou a primeira edição do livro "Quotidiano San" em 2019, tem ainda no mercado as obras, "Tchivinguiro - Uma Memoria Colectiva" de 2015, "Fotografia do Quotidiano", de 2012 e "Parceira Público-Privada - Uma experiência sobre o microcrédito", no ano de 2011.

Essa 2ª edição tem 170 paginas, mais dez que a anterior e editada pela mesma editora , a Chá de Caxinde, do que tirou mil e 500 exemplares.

Nela foram ainda incluídas novas imagens fotográficas da áreas de residência da comunidade San, vulgo “Khoisan”, assim como a correcção da grafia de algumas localidades e incluídos os nomes científicos dos frutos silvestres.

Em declarações à ANGOP, o autor disse que o livro busca ajudar o entendimento da transformação da comunidade San, do estilo de vida nómada para algo aproximado ao sedentarismo, mas que continua a realizar actividades típicas de nómadas.

Salvador Ferreira afirmou que a obra realça a sua longa trajectória de mudanças da referida população, desde a migração Bantu, colonização europeia e hoje.

“Actualmente, o quotidiano San é caracterizado por actividades de rotina realizadas durante todo ano que incluem a prestação de serviços diversos, o cuidar das lavras e animais, recolha de frutos silvestres, água para consumo e lenha, caça e artesanato, fabricação de bebidas alcoólicas, recolha de mel, entre outros”, detalhou.

Salvador Ferreira realçou que a motivação para escrever este livro começou em dois mil e nove quando, pela primeira vez, estabeleceu contacto directo com a comunidade San e, por força disso, iniciou um processo de aprendizagem relativamente ao modo de vida San.

Depois do Lubango, a obra vai ser apresentada nas províncias de Luanda,  Cunene, Cuando Cubango e Benguela.

O livro resulta de uma pesquisa realizada durante oito anos em três diferentes etapas com apoio da Associação de Conservação do Ambiente e Desenvolvimento Integrado Rural (ACADIR) e da Organização Cristã de Apoio ao Desenvolvimento Comunitário (OCADEC).

Salvador Ferreira, nascido na província do Cuanza Norte, publicou a primeira edição do livro "Quotidiano San" em 2019, tem ainda no mercado as obras, "Tchivinguiro - Uma Memoria Colectiva" de 2015, "Fotografia do Quotidiano", de 2012 e "Parceira Público-Privada - Uma experiência sobre o microcrédito", no ano de 2011.