Segunda edição da “Zunga pão do asfalto” já nas bancas

  • Mamas zungueiras
Luanda – A Segunda edição do livro “Zunga pão do asfalto” de um colectivo de jornalistas das Edições Novembro, foi lançada esta sexta-feira na sede da União dos Escritores Angolanos (UEA), em Luanda.

O livro é uma colectânea de vários textos que homenagem a mulher zunguiera, pela sua batalha, sem descanso para garantir o pão à mesa, exemplo de coragem, resiliência e prova de amor pela família.

Os textos foram escritos pelos profissionais da referida “casa de jornalismo”: Luís Fernando, Caetano Júnior, Luísa Rogério, Altino Matos, Josina de Carvalho, Francisco Pedro, Graciete Mayer, Mateus Cavumbo, Antonio Kassoma, Fatima Gourgel e Vladimir Prata.

Durante a apresentação da obra, o crítico literário Jomo Fortunato referiu tratar-se de uma edição que ganha pelo imediatismo do tema e a valorização da zungueira, e que nesta obra as homenageadas falam da sua vida e dos seus sonhos.

Segundo o apresentador, na obra, a Zungueira (em testemunho) fala ainda do seu destino por que muitas não esperavam. “Esta obra é uma forte homenagem a estas mulheres  guerreiras e batalhadoras. A mesma tem um título bibliográfico que deve constar na literatura angolana”, frisou.      

Na sessão de vendas foram homenageadas e agraciadas duas ex-zungueiras, com um montante de um milhão de Kwanzas e um ramo de flores, pelo seus depoimentos e participação na colectânea.  

“Zunga pão do asfalto” teve uma tiragem de mil exemplares, é propriedade das Edições Novembro e está a ser comercializado a AKZ 5.000 (cinco mil Kwanzas).

A primeira edição foi publicada em 2005.

O livro é uma colectânea de vários textos que homenagem a mulher zunguiera, pela sua batalha, sem descanso para garantir o pão à mesa, exemplo de coragem, resiliência e prova de amor pela família.

Os textos foram escritos pelos profissionais da referida “casa de jornalismo”: Luís Fernando, Caetano Júnior, Luísa Rogério, Altino Matos, Josina de Carvalho, Francisco Pedro, Graciete Mayer, Mateus Cavumbo, Antonio Kassoma, Fatima Gourgel e Vladimir Prata.

Durante a apresentação da obra, o crítico literário Jomo Fortunato referiu tratar-se de uma edição que ganha pelo imediatismo do tema e a valorização da zungueira, e que nesta obra as homenageadas falam da sua vida e dos seus sonhos.

Segundo o apresentador, na obra, a Zungueira (em testemunho) fala ainda do seu destino por que muitas não esperavam. “Esta obra é uma forte homenagem a estas mulheres  guerreiras e batalhadoras. A mesma tem um título bibliográfico que deve constar na literatura angolana”, frisou.      

Na sessão de vendas foram homenageadas e agraciadas duas ex-zungueiras, com um montante de um milhão de Kwanzas e um ramo de flores, pelo seus depoimentos e participação na colectânea.  

“Zunga pão do asfalto” teve uma tiragem de mil exemplares, é propriedade das Edições Novembro e está a ser comercializado a AKZ 5.000 (cinco mil Kwanzas).

A primeira edição foi publicada em 2005.