Trova e poesia marcam jornada da BJLA

  • Musico Kyaku Kyadaff
  • Logomarca da Brigada Jovem de Literatura de Angola
Luanda – Declamação de poesias e um espetáculo de trova marcaram, neste sábado, a jornada alusiva às festividades do oito de Janeiro, Dia da Cultura Nacional, promovida pela Brigada Jovem da Literatura de Angola (BJLA).

Fizeram parte do concerto os músicos trovadores Kyaku Kyadaff, Emanuel Kanda, Emanuel Mendes, Júlio Gil, Vladmir Gonga e Obadias Correia, bem como os poetas Miguel Arcanjo, Luther Kiteculo, Jacinto Domingos e  Kanguimbu Ananaz.

O certame, que marcou a abertura do ano cultural da BJLA em todo país, teve a parceria do Conselho Nacional da Juventude (CNJ).

Durante o evento, os membros da BJLA e convidados mostraram os seus talentos na arte poética e musical, com destaque para a trova.

Francisco Paulino, secretário-geral adjunto da Brigada Jovem de Literatura de Angola (BJLA), disse, à margem do acto, que a cultura é a super estrutura para uma sociedade. 

Já a poetisa e pesquisadora cultural Kanguimbu Ananaz  encorajou os angolanos a fazerem uma introspecção e valorizarem a identidade cultural, os hábitos e costumes do país.

Por sua vez, o músico trovador Kyaku Kyadaff afirmou que a Cultura não deve ser recordada apenas em datas de efemérides. 

A Brigada Jovem de Literatura de Angola, que existe desde 1981, teve como primeiro presidente da sua Comissão Executiva o escritor Conceição Cristóvão, seguindo-se David Mendes e Nicolau Sebastião da Conceição “Kudjimbe”.

O actual presidente é o poeta  e  escritor Carlos Pedro, eleito em finais de 2020, ante um clima de divisão e crise de liderança na organização.

Apesar da realização do pleito que elegeu Carlos Pedro, uma outra ala, dirigida pela direcção cessante, anunciou eleições, este ano, com dois candidatos que procuram eleitores pelo país. 

 

Fizeram parte do concerto os músicos trovadores Kyaku Kyadaff, Emanuel Kanda, Emanuel Mendes, Júlio Gil, Vladmir Gonga e Obadias Correia, bem como os poetas Miguel Arcanjo, Luther Kiteculo, Jacinto Domingos e  Kanguimbu Ananaz.

O certame, que marcou a abertura do ano cultural da BJLA em todo país, teve a parceria do Conselho Nacional da Juventude (CNJ).

Durante o evento, os membros da BJLA e convidados mostraram os seus talentos na arte poética e musical, com destaque para a trova.

Francisco Paulino, secretário-geral adjunto da Brigada Jovem de Literatura de Angola (BJLA), disse, à margem do acto, que a cultura é a super estrutura para uma sociedade. 

Já a poetisa e pesquisadora cultural Kanguimbu Ananaz  encorajou os angolanos a fazerem uma introspecção e valorizarem a identidade cultural, os hábitos e costumes do país.

Por sua vez, o músico trovador Kyaku Kyadaff afirmou que a Cultura não deve ser recordada apenas em datas de efemérides. 

A Brigada Jovem de Literatura de Angola, que existe desde 1981, teve como primeiro presidente da sua Comissão Executiva o escritor Conceição Cristóvão, seguindo-se David Mendes e Nicolau Sebastião da Conceição “Kudjimbe”.

O actual presidente é o poeta  e  escritor Carlos Pedro, eleito em finais de 2020, ante um clima de divisão e crise de liderança na organização.

Apesar da realização do pleito que elegeu Carlos Pedro, uma outra ala, dirigida pela direcção cessante, anunciou eleições, este ano, com dois candidatos que procuram eleitores pelo país.