Yuri da Cunha eterniza Teta Lando

  • Paulo Flores (à dir.) e Yuri da Cunha
Lunda - O músico angolano Yuri da Cunha eternizou, na noite de sexta-feira, em Luanda, o músico e compositor Teta Lando, um dos grandes ícones do music all angolano.

Com a presença dos bons apreciadores das “Ketas” que marcaram épocas, Yuri da Cunha abriu o show com “Lufwa Lua Nkandy”, seguido de “Ntoyo”, “Angolano Segue em Frente”, “Wembo Wembo”, “ Um Assobio Meu”, “Menina de 9 anos” e “Pele Escura”.

Em pouco mais de duas horas de espectáculo, o artista tirou ainda do baú “Negra de Carapinha Dura”, “Irmão Ama o Teu Irmão, “Kimbemba”, “Menina de Angola, “Tata Nketo”, “Penso em Luanda”, “Eu Vou Voltar”, “Reunir”, “Sonho de Camponês” e “Madrugada”, músicas que marcaram e continuam a marcar gerações de angolanos.

Com o acompanhamento dos fãs presentes no local, em cada tema interpretado o artista arrancou aplausos do público, tendo ainda tempo para um dueto com Matias Damásio interpretando “Menina de Angola”.

Apesar de ser uma noite dedicada a eternizar Teta Lando, o artista teve ainda tempo para uma singela homenagem a Joãozinho Morgado, que assumiu as Tumbas na interpretação da música “Penso em Luanda”.

Entre luz, cor e melodia, Yuri passeou classe no palco, levando o público a recordar com nostalgia muitas das várias músicas interpretada por Teta Lando.

Para Anastácio Francisco, foi um espectáculo a altura da figura e relevância de Teta Lando, que soube elevar a música angolana e a cultura nacional além- fronteiras.

“Yuri da Cunha soube trazer ao palco o retrato sonoro e melódico de Teta Lando”, referiu.

Ao longo da sua carreira, Yuri da Cunha enalteceu já no álbum “Yuri da Cunha canta Artur Nunes” um outro grande expoente da música angolana.

Álvaro Yuri Alberto da Cunha, conhecido nas lides artísticas como Yuri da Cunha, de 40 anos, natural do Wako Kungo, começou a sua trajectória artística na década de 80, sendo a música “Amigo” aquela que o tornou conhecido do grande público.

Vencedor do Top Rádio Luanda 2004, com a música “Makumba”, Yuri da Cunha tem ainda os prémios nas categorias de Melhor Discografia do ano, Melhor Kizomba, Melhor Semba e Melhor Artista Masculino, em 2005, Top Rádio Luanda, com a música “Gago”, em 2015.

O artista conta ainda com os troféus na categoria Kianda do Sucesso. Em 2009, com a música “Gago”, venceu o Top dos Mais Queridos.

No seu palmarés consta ainda "melhor dueto africano”, nos prémios da MTV, com o seu single " Atchu Tchu Tcha".

Tem no mercado os discos “Yuri da Cunha canta Artur Nunes”, 2014, “É tudo amor”, 1999, “Eu”, 2005, “Kuma Kwa Kié”, 2009, “O intérprete”, 2015, e “MrPulungunza”, 2017.

Com a presença dos bons apreciadores das “Ketas” que marcaram épocas, Yuri da Cunha abriu o show com “Lufwa Lua Nkandy”, seguido de “Ntoyo”, “Angolano Segue em Frente”, “Wembo Wembo”, “ Um Assobio Meu”, “Menina de 9 anos” e “Pele Escura”.

Em pouco mais de duas horas de espectáculo, o artista tirou ainda do baú “Negra de Carapinha Dura”, “Irmão Ama o Teu Irmão, “Kimbemba”, “Menina de Angola, “Tata Nketo”, “Penso em Luanda”, “Eu Vou Voltar”, “Reunir”, “Sonho de Camponês” e “Madrugada”, músicas que marcaram e continuam a marcar gerações de angolanos.

Com o acompanhamento dos fãs presentes no local, em cada tema interpretado o artista arrancou aplausos do público, tendo ainda tempo para um dueto com Matias Damásio interpretando “Menina de Angola”.

Apesar de ser uma noite dedicada a eternizar Teta Lando, o artista teve ainda tempo para uma singela homenagem a Joãozinho Morgado, que assumiu as Tumbas na interpretação da música “Penso em Luanda”.

Entre luz, cor e melodia, Yuri passeou classe no palco, levando o público a recordar com nostalgia muitas das várias músicas interpretada por Teta Lando.

Para Anastácio Francisco, foi um espectáculo a altura da figura e relevância de Teta Lando, que soube elevar a música angolana e a cultura nacional além- fronteiras.

“Yuri da Cunha soube trazer ao palco o retrato sonoro e melódico de Teta Lando”, referiu.

Ao longo da sua carreira, Yuri da Cunha enalteceu já no álbum “Yuri da Cunha canta Artur Nunes” um outro grande expoente da música angolana.

Álvaro Yuri Alberto da Cunha, conhecido nas lides artísticas como Yuri da Cunha, de 40 anos, natural do Wako Kungo, começou a sua trajectória artística na década de 80, sendo a música “Amigo” aquela que o tornou conhecido do grande público.

Vencedor do Top Rádio Luanda 2004, com a música “Makumba”, Yuri da Cunha tem ainda os prémios nas categorias de Melhor Discografia do ano, Melhor Kizomba, Melhor Semba e Melhor Artista Masculino, em 2005, Top Rádio Luanda, com a música “Gago”, em 2015.

O artista conta ainda com os troféus na categoria Kianda do Sucesso. Em 2009, com a música “Gago”, venceu o Top dos Mais Queridos.

No seu palmarés consta ainda "melhor dueto africano”, nos prémios da MTV, com o seu single " Atchu Tchu Tcha".

Tem no mercado os discos “Yuri da Cunha canta Artur Nunes”, 2014, “É tudo amor”, 1999, “Eu”, 2005, “Kuma Kwa Kié”, 2009, “O intérprete”, 2015, e “MrPulungunza”, 2017.